7 de mar de 2013

Review - The Carrie Diaries - S01E08 - Hush Hush


“Quando uma porta se fecha, uma caixa de sapatos se abre”

[SPOILERS]



Não é segredo para ninguém que todo mundo tem segredos. Alguns deles bons para certas pessoas e ruins para outras, alguns que levam a mentiras, alguns que envergonham, alguns necessários, alguns que escondem verdades difíceis de aceitar. Em Hush Hush, Carrie nos leva através dos segredos dos personagens e, como sempre, por um passeio pelos problemas que eles trazem.

Para início de trama, temos a própria protagonista vivendo a vida dupla: estagiária em uma empresa de advocacia e, ao mesmo tempo, na Interview. Em ambas as realidades, Carrie precisa manter seu segredo, já que o pai não sabe do emprego na revista, e Larissa, sua chefe na Interview, não tem ideia sobre a verdadeira idade da garota. Enquanto isso, Sebastian termina o namoro em segredo com Donna; Donna sabe do segredo que Maggie esconde sobre o seu affair; Mouse sabe sobre o fim de namoro de Sebastian; e Walt... Bem, parece até que esqueceram o “segredo” dele. Se não fosse o final ~sutil~ do episódio, eu poderia pensar que os produtores desistiram da ideia de ter um personagem homossexual na série.

Durante Hush Hush, vemos as coisas dando errado no começo e se acertando no final, pelo menos para a protagonista. Sebastian vai a Manhattan a procura de Carrie graças ao bom conselho das amigas Maggie e Mouse. Por sua vez, as duas vão para a escola passar a noite ~literalmente~ em um evento organizado pelos alunos. Lá, Walt descobre o segredo de Maggie e eles terminam. E ele fica #CHATEADO. Tudo bem, ninguém gosta de ser traído, mas ele estava se escondendo atrás da Maggie para não ter que encarar a sua própria condição. Isso é certo? Como se não bastasse, Donna beija Walt e eles acabam o episódio juntos. Se ele fez isso com raivinha da Maggie e/ou para esconder o próprio segredo, deveria ter pensado pelo menos na Carrie, que ainda é sua amiga e não gosta da Donna por motivos ~Sebastian~ óbvios.

Do lado adulto da série, temos o pai de Carrie ~ainda~ na busca por uma companheira, que, como tem sido rotina, dá errada. Ele precisa entender que nenhuma mulher vai ser igual a sua e fazer isso do jeito certo! No fim, o pai acaba encontrando a filha na badalação em Manhattan e descobrindo o segredo da “vida dupla”. Tom, com aquela personalidade de “pai quadrado”, durão e antiquado, não aceita e, depois do “mimimi eu sou grande”, os dois tem uma conversa franca e aparentemente se resolvem. Não sei se a Carrie vai desistir da Interview, assim, tão fácil.

Resumo da ópera: um bom episódio, comparado aos dois últimos. A série não é uma maravilha, mas eu não entendo gente que reclama da inocência dela. Não é só porque os “hits” Gossip Girl e 90210 mostram uma juventude “desvirtuada” e forte na balada que as outras séries têm que seguir a mesma linha. “Isso é o que acontece na realidade dos jovens hoje”. Ok, pode até ser, mas a série é um retrato da juventude alegre dos anos 80. Nem tudo se resumia a sexo e drogas (e olha que a forma como The Carrie Diaries abordou esses assuntos foi totalmente tranquila). Sinto saudade da sensibilidade de séries como Gilmore Girls e Everwood, que hoje em dia simplesmente não existem. Talvez TCD consiga ter uma sensibilidade parecida algum dia. A própria Carrie é super bobinha e dar nos nervos em alguns momentos, mas se ela não fosse assim, seria mais fácil reprisar os episódios de Sex and the City. Acredito que The Carrie Diaries ainda tenha muito a evoluir e a se aprofundar ~se não for cancelada~, não só pelos conflitos dos personagens, como também através do crescimento deles a partir desses conflitos.

E vocês, o que acharam? Curtam no Facebook! ;)

Músicas do episódio:

I Want Candy – Bow Wow Wow
You Dropped a Bomb On Me – The Gap Band
Please, Please, Please Let Me Get What I Want – The Smiths
Rescue Remedy – Emotion Pictures

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...