3 de abr de 2013

Review - Revenge - S02E17 - Victory


“Não há nada que o David escreveu que teria mudado algo”

[SPOILERS]



Um breve pensamento me fez acreditar que o nome do episódio, Victory, tinha relação com a nossa querida Vic. Só que não. A antagonista está cada vez mais apagada da série e, se não fosse o final do episódio, diria que ela perdeu o posto de rainha do mal para a ~onipresente, onisciente e onipotente~ Iniciativa.

Iniciativa esta que, mais uma vez, manteve seu papel de destaque, à medida que Victory caminhava em passos lentos mostrando a libertação do pai da Padma. Libertação coisa nenhuma, né. Quem não sabia que a Padma seria sequestrada e que ninguém veria rastros do pai dela, por favor, levante a mão. Todo mundo já viu filmes policiais o suficiente para saber que essa coisa de “troca de refém” ~sem a polícia~ NUNCA funciona. Sempre sai algum mocinho ferido e/ou morto e/ou sequestrado, e a troca não acontece. Parece difícil para os nossos protagonistas entenderem isso. Sabia foi a Emily, que preferiu não se arriscar nessa tentativa infundada de salvar alguém que não tem nenhum papel relevante na história (pelo menos até agora).

O pior é que o Nolan não consegue desistir da Padma. Eu já estou cansada de todo esse mimimi dele “quero ser o herói da minha amada” enquanto ela fica sentada em casa, chorando as pitangas pelo sumiço do pai, ouvindo My Hero, do Foo Fighters. O mais engraçado é que antes o Nolan não se importava com ninguém além da Emily, o que me deu a impressão de que talvez ele esteja passando pelo mesmo “processo de humanização” que a protagonista foi submetida. Alguém percebeu isso? Por outro lado, a Padma parece pouco se importar: ela quer porque quer entregar o Carrion e ter o seu pai de volta, não importa por quais perigos o Nolan tenha que passar.

Enquanto isso, continuamos a acompanhar Jack em busca da verdade sobre o que aconteceu com Amanda, e sua tentativa de se vingar dos culpados. De uma coisa ele tem certeza: Conrad Grayson é peça chave para a sua descoberta e a aproximação cautelosa do predador até a presa é fundamental para a conclusão de seus planos (qual é o belo plano de vingança dele, mesmo?). Agora ele está infiltrado na campanha do Grayson.

Durante o episódios ainda tivemos a participação de Eli, o irmão adotivo, que é mostrado fazendo jogo duplo: hora ele está do lado da mãe adotiva – que pretende receber dinheiro doado pela fundação criada pelos Grayson em homenagem a Amanda –, hora ele está do lado de Emily. Tudo isso para desmascarar a mulher (Srta. Hayward) na frente de todos. A “mãe” havia roubado cartas deixadas pelo pai de Emily e que, ao final do episódio, descobrimos estarem com o Mason.

A partir daí, o segredo é revelado: Victoria teve outro filho, entregue para adoção. Fiquei curiosa sobre qual a relação que esta pessoa terá com toda a trama. Não vejo espaço para mais um intruso vindo de lares adotivos.

Para terminar, achei lindo ver a Emily marcando um “x” na cara da mãe adotiva. Saudades de quando era um “x” por semana.

Ps.: e aquela foto com as balas enviadas para o Daniel? Iniciativa ou Vic? Qual o sentido?

E vocês, o que acharam? Comentem e curtam no Facebook! ;)

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...