30 de jul de 2013

Review - Dexter - S08E05 - This Little Piggy

"Well, a family that kills together..."

Cuidado, spoilers!

                This Little Piggy (8x05), exibido nos Estados Unidos em 28.07, confirma a tendência da oitava temporada de Dexter: a ação não é exclusivamente da caçada de Dexter ou da tentativa de despistar a polícia, mas sim psicológica. Quem quer que esteja por trás da consultoria de Psicologia e Psiquiatria da série está de parabéns, pois vem realizando um excelente trabalho: para mim, até agora a melhor cena da temporada é desse episódio, quando Evelyn Vogel conversa com A.J./Yates/Brain Surgeon, trabalhando os traumas de infância dele e manipulando-o para garantir a própria sobrevivência.
                Antes disso, porém, vemos Dexter completamente ressentido com a irmã, devido à tentativa dela de mata-lo com o acidente de carro – muito embora ela própria tenha o salvado: Debra o procura, mas ele se recusa a entrar em contato com ele, que se mostra extremamente magoado. Mais uma vez, a pergunta que fica é: Dexter tem ou não tem sentimentos? Esse parece ser um dos questionamentos-chave da temporada, já que é a final: se antes os questionamentos de ordem filosófica eram segundo plano, na última temporada são cruciais, pois determinarão o final do seriado. Dexter irá preso ou fugirá? Irá se redimir e arrepender-se de tudo o que fez ou não? A resposta para essas questões parece estar na maneira como os sentimentos de Dexter (ou a falta deles) serão conduzidos daqui até o series finale.
                Ainda que magoado, Dexter aceita ir com Debra atrás de Evelyn, que foi sequestrada por Yates. A polícia também está em busca dele, devido a vítima (salva por Dexter em Scar Tissue [8x04]), que confessa o nome dele. Os irmãos Morgan estão juntos, com um propósito nunca visto antes: caçar um assassino. Vale lembrar que Yates tem dois modi operandi: primeiro, o que consiste em quebrar os dedos das vítimas e guardar os sapatos e o segundo, conhecido desde o primeiro episódio da temporada, que é o Brain Surgeon.
                Paralelo a tudo isso temos os plots da escolha do novo sargento na divisão de Homicídios de Miami Metro, até agora morno e, que os fãs de Quinn me perdoem, chato, e a filha do Masuka, que vem dando o tom de “dramédia” aos últimos episódios, embora ainda não tenha empolgado muito. A garota parece um tanto quanto interesseira, mas se ela é algo mais que isso, como os estagiários da sexta temporada, ainda é cedo para dizer.

                O estranho nesse episódio é que o conflito do Brain Surgeon parece ter se extinguido muito rápido, com o assasinato dele (nota aleatória: estou até agora me perguntando como Dexter, Debra e Evelyn conseguiram arrumar aquele quarto depois, porque, né, ele enfiou uma varão de cortina na cama). Até agora, não vejo uma razão clara para que ele não seja, de fato, o Brain Surgeon, mas é esquisito que o conflito, que parecia ser um dos pontos principais da temporada, tenha acabado. A promo do 8x06, A Little Reflection (aqui, com legendas), aponta para um potencial serial killer, já introduzido nesse episódio, que é Zach Hamilton. Teria sido, então, o Brain Surgeon uma preparação para o que é, de fato, o problema da temporada? A partir de agora a temporada encontra-se em um ponto crucial: ou ela se confirmará como uma das melhores temporadas de Dexter ou se perderá no próprio roteiro, o que seria um fim decepcionante para uma season que começou tão bem.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...