30 de ago de 2013

Review - Dexter - S08E09 – Make Your Own Kind Of Music

Razões para amar Debra: "O que Zach estava fazendo com você e Hannah em Keys? Uma convenção de serial killers?" <3

CUIDADO, SPOILERS!

                Make Your Own Kind of Music não é um episódio ruim, porém é, sem dúvida, inferior aos dois anteriores (Dress CodeAre WeThere Yet?) e aos três primeiros episódios da temporada (A Beautiful Day, Every Silver Lining... e What’s Eating Dexter Morgan?). Aliás, até agora a temporada prometeu muito e cumpriu pouco: é uma temporada boa, porém morna – o que é muito ruim quando lembramos que essa é a última de Dexter.
                Como já vimos no 8x08, o Brain Surgeon não morreu e nesse episódio nós descobrimos quem ele é... o filho de dra. Vogel. Inovador ser o filho dela em vez dela própria – eu não torcia para que fosse ela, pois seria muita falta de criatividade (embora estivesse começando a ficar fácil demais desconfiar dela). Aliás, descobrimos qual episódio do passado fez com que Evelyn se especializasse em psicopatas – o filho mais velho, Daniel (ou Oliver Sacks – sim, o namoradinho da vizinha de Dexter - ou Brain Surgeon), assassinou o filho mais novo dela, Richard. Ele foi enviado para um hospital mental na Inglaterra, onde supostamente morreu aos 17 anos. E como morto ele teria continuado... até Dexter descobrir que, hm, não só ele está vivo como também está matando e é o Brain Surgeon.
                Dexter Morgan, por favor, participe do quadro de desaparecidos da televisão (no estado de vocês tem isso? Bem, no meu tem rs). Você teria futuro.
                Hannah continua em Miami vivendo um romance fora da lei (ba dum tss!) com Dexter, e ainda sonhando com a Argentina. (Minha cara, a Argentina tá vivendo uma crise, a inflação está alta por lá. Tem certeza?) Enquanto ela não realiza seu sonho de conhecer a Casa Rosada, ela está morando na casa de... Debra. Sim, leitor. Eu sei. Eu sei o quanto parece absurdo e incoerente que Debra tenha aceitado essa situação, mas ela ainda não foi envenenada, então está tudo bem.
                Por falar em Debra, ela ainda não sabe se deve mesmo voltar para a Miami Metro. Torço para que ela retorne: de alguma forma, sinto que isso dificultará mais a vida de Dexter, o que talvez deixasse esse final de temporada mais empolgante. Mas quem também torce para o retorno dela à polícia é Quinn que – oh que surpresa! – ainda tem sentimentos por ela.

                Para finalizar o episódio, descobrimos que, apesar de ter desconhecido o paradeiro do filho por um bom tempo e sabendo que ele é um serial killer que, veja só, estava enviando partes de cérebros para ela, dra. Evelyn decide abraçá-lo e apoiá-lo contra Dexter. Não, dra. Vogel não é o Brain Surgeon. Sim, os fãs que dizem desde o começo da temporada que ela era problema estão certos. Sim, eu errei, porque durante boa parte da temporada eu achei que talvez ela estivesse ali só para exercitar os conflitos internos de Debra e Dexter – aliás, o lado psicológico dos dois, tão bem trabalhado no começo da temporada, foi praticamente abandonado, o que me deixa bastante triste, para falar a verdade. Boa ou má, veremos os próximos passos de Vogel no dia 08 de setembro (nesse domingo, 01.09, não haverá exibição).

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...