15 de out de 2013

Review - The Walking Dead - S04E01 - 30 Days Without an Accident


30 dias sem acidentes, meses de antecipação


Desde que estreou no Halloween de 2010, The Walking Dead é uma das séries mais consagradas dos últimos tempos; as inovações de cenário, maquiagem e adaptação trouxe à cena televisiva uma renovação inesperada. Com uma trama consistente, porém arriscada, a primeira temporada da série veio apenas com seis episódios e rapidamente conquistou legiões de fãs criando diversas mídias subsequentes como jogos, livros, web series, etc.

As temporadas subsequentes não deixaram a deixar, porém o final decepcionante da terceira e a abordagem mais psicológica dos personagens fez alguns fãs chiarem clamando por mais cenas com o elemento que havia atraído a atenção de todos; os walkers. Parece que a produção ouviu o clamor das multidões e logo no primeiro episódio da novíssima temporada os walkers estão ali para lembrar a todos que o perigo inumano ainda ronda e vai atormentar a vida do grupo protagonista da série.

O episódio começa mostrando a pequena comunidade que Rick Grimmes e seu grupo de refugiados montou na prisão, eles ainda continuam vivendo da caça e dos assaltos que fazem nas cidades ao entorno, mas sua principal fonte é subsistência, agora eles mantém hortas e criam pequenos animais para o abate. Como mostrado no último episódio da terceira temporada, alguns habitantes de Woodbury se mudaram para a prisão após O Governador ter abandonado a cidade e sumido do mapa. Darryl e Rick não querem se afastar muito em busca do fundador da pequena cidade, mas Michonne continua determinada a ir atrás daquele que é considerado um dos melhores (e mais cruéis) vilões de HQ que existem.

A  história continua demonstrando como as relações dessa nova comunidade vêm se aprofundando, Carl arrumou um amigo de sua idade, Patrick (o Greg de Todo Mundo Odeia o Chris), porém ainda é visível como o fato de ele ter crescido no apocalipse zumbi e ter feito as coisas que fez (lembrando que ele teve que matar a própria mãe, assassinou um garoto a sangue frio, atirou em Shane e já tem a carcaça de vários walkers nas costas); o fato de Carl estar se tornando "bad ass" é algo que agrada muito aos fãs e que faz muito sentido, seria decepcionante se os roteiristas desviassem esse traço de personalidade que foi construído tão lenta e brilhantemente. Darryl tem um pequeno grupo de admiradores (qualquer semelhança com a realidade...) e Maggie quer ter um bebê... SIM! Depois de tudo que aconteceu com a Lori, ela quer ter um bebê, "I don't wanna be afraid of being alive" (Eu não quero ter medo de estar viva) é sua justificativa. Tyreese, um  personagem chave nas HQs, parece finalmente estar tomando seu lugar definitivo no grupo de sobreviventes. É também interessante observar o grupo se dando ao direito de pequenos luxos como livros, revistas e barbeadores. Ainda não foi explicado como eles conseguiram eletricidade, água e até mesmo os animais.

Um pequeno grupo liderado por Darryl e Michonne e composto por Sasha, Tyreese, Glenn e dois dos novos personagens, Zack e Bob, segue para uma cidade próxima afim de conseguir suprimentos. O grupo encontra um mercado e começa suas "compras", a câmera então sobe até mostrar o teto do local lotado de walkers e um helicóptero caído. Para bom entendedor, meio helicóptero basta. Bob se detém frente à uma prateleira de bebidas e é indicado que o personagem tem problemas com álcool já que ele fica incerto quanto a surripiar uma das garrafas, porém ele não cede a tentação e devolve a garrafa à prateleira que desaba sobre ele. Os walkers, atraídos pelo som, começam a ficar agitados do telhado frágil do mercado; o que vem a seguir é, no mínimo, uma releitura muito deturpada da música It's Raining Men, pois é exatamente isso que acontece. A estrutura do mercado, prejudicada pelo tempo, começa a ceder e walkers começam a chover sobre o grupo, Zack ajuda Bob que está preso embaixo da prateleira e acaba sendo mordido (clássica mordida no calcanhar) por uma das criaturas; sem chance de salvação, o grupo o abandona antes de serem todos esmagados pelo gigantesco helicóptero.

Nesse meio tempo, Rick parece estar confortável demais em relação aos walkers; lembrando que, cronologicamente, o grupo já deve estar a mais ou menos um ano e meio, dois anos no cenário apocalíptico e isso pode ser o que basta para qualquer um se sentir "seguro" mesmo após ter passado tantas dificuldades. O problema é que Rick tem saído para caçar adentrando profundamente o mato levar uma arma de fogo, talvez ele tema que seu clássico revólver faça com que o poder lhe suba novamente à cabeça transformando-o no ditador aflorado no final da segunda temporada. A pedido de Hershel, ele leva a arma e acaba encontrando uma mulher que lhe pede ajuda, os dois conversam calmamente enquanto ela o leva até o local onde supostamente estaria acampada com seu marido, a mulher pede para que Rick a leve com ele para a prisão e ele concorda com uma condição, ela e o esposo devem responder a três perguntas antes.

Chegando ao acampamento, a mulher se ajoelha perto a um saco e começa a conversar com o "nada" provando que nem todos conseguem se manter minimamente sãos naquele ambiente. Ela então tenta esfaquear Rick dizendo "Ele está faminto! Ele precisa de algo vivo!". Acontece que, não suportando a perda do marido, ela o manteve dentro de um saco o alimentando com o que conseguisse; num último ato desesperado, a mulher se esfaqueia deixando Rick atordoado. Pouco antes de morrer ela lhe pergunta quais eram as três questões que deveriam ser respondidas, com lágrimas nos olhos frente ao desespero e decadência humanas, o protagonista recita "Quantos walkers você já matou? Quantos humanos você já matou? Por quê?" , essas três perguntas mostram que, apesar do grupo estar convencido de que somente com números poderá sobreviver a um ataque de walkers ou de outros humanos, o passado deixou marcas que jamais serão esquecidas e que acabaram por se tornar lições para o futuro. A mulher pede para Rick não a mate "definitivamente" para que ela possa estar com seu amado e ele a deixa após seu último suspiro.

De volta à prisão, Carol está lendo histórias para as crianças e Patrick, Carl se esgueira por entre as estantes da biblioteca não querendo ser visto para não ser confundido com um dos infantes. Sem qualquer aviso, Carol para de ler e tira de dentro de um baú um jogo de facas de diversos tamanhos; na verdade, Carol está usando este momento para ensinar às crianças algumas coisas sobre combate. Patrick pede para se retirar por estar se sentido mal, Carol percebe a presença de Carl e pede para que ele não conte nada ao pai. Isso mostra como os personagens possuem visões diferentes sobre o que deve ser feito, como Carol perdeu sua filha Sophia para os walkers, é compreensível que esteja querendo ensinar crianças a se proteger, mas fazer isso pelas costas de Rick? É um convite para um inevitável confronto.

Ao voltar para a prisão, Rick percebe que um dos porcos morreu de alguma doença; imediatamente o espectador é levado a fazer um paralelo entre a doença que causou a morte do porco ao mal estar de Patrick. O adolescente aparece vagando a noite, aparentemente acometido por uma febre e tosse terríveis, ele vai até o banheiro e toma uma chuveirada, mas acaba desmaiando; logo em seguida vê-se Patrick caído no chão com sangue saindo pelas narinas, olhos e ouvidos, ele abre as  pálpebras para revelar a característica íris amarelada opaca cercada por veias em um fundo negro.

MIRABOLAÇÕES FINAIS

O primeiro episódio já trouxe grandes questões à tona, quantas pessoas ainda sobreviveram? Como? Onde está o Governador? Por que Patrick virou um walker? Estando todos infectados, o vírus estaria agora avançando? Não é mais preciso morrer pra se tornar um zumbi? Zack morreu, os ponteiros estão girando novamente, quem vai ser o próximo?

Apesar de uma renovada de personagens ser sempre bem vinda, o bom conhecedor da série sabe que quanto mais gente, mais mortes... É inevitável, é a lógica de The Walking Dead e o público já está tão apegado ao elenco principal que fica difícil riscar um deles da lista de recorrentes, talvez esse tenha sido o jeito que os produtores encontraram de manter o elenco e ainda assim dar o show de carnificina que é esperado.

E por último, eu gostaria de falar sobre o Bob; não é bom eu me estender muito sobre o papel dele nas HQ's, pois qualquer informação pode virar spoiler, mas o novo diretor da série, Scott Gimple, já disse "Algumas coisas darão muito errado o que deixará Bob contra alguns personagens e o aproximará de outros", ele é um dos personagens mais suspeitos, na minha modesta opinião

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...