31 de out de 2013

Review - The Walking Dead S04E02 - Infected



"É uma questão de vida ou morte" - Carol


 Estaria a Carol indo um pouco longe demais com as crianças e as aulinhas de defesa pessoal?

Como já era de se esperar, após a calmaria, vem a tempestade, por mais que Rick tente abafar o som odioso do mundo dos zumbis com fones de ouvido, uma hora a pilha do radinho vai acabar e já pode ser tarde demais. O segundo episódio da quarta temporada começa com as emoções a flor da pele. No final do episódio anterior, vimos Greg-ops, Patrick transformar-se em waker sem qualquer explicação aparente, ele então começa a rondar a prisão procurando por sua primeira vítima e acaba por atacar o famoso João Ninguém dando-lhe uma mordida logo na garganta para evitar que ele grite (zumbis estão tão inteligentes ultimamente). A prisão então amanhece aparentemente pacífica, mas logo um pandemônio se instaura e várias pessoas se tornam vítimas proliferando o vírus zumbi em todo um bloco da prisão.

Entre uma das vítimas está o pai das meninas Lizzie e Mika que, óbvio, ficam sob a proteção de Carol que deixa a mais velha (Lizzie) dar cabo do corpo do próprio pai; a menina hesita e não consegue. Depois disso, as duas meninas vão para cerca onde antes estavam "brincando" com um dos zumbis, Carol se aproxima delas e diz para Lizzie com a finésse que lhe é peculiar: "Querida você é fraca. Você perdeu a calma. Você tem que confiar nos seus instintos e você tem que ter confiança sempre. É uma questão de vida ou morte"; vi várias pessoas na internet apoiando essa atitude, mas temos que pensar que nem todas as crianças são o Carl... Só o Carl é o Carl, Lizzie estava "protegida" em Woodbury até se mudar para a prisão, querendo ou não, sua visão de mundo é diferente, e dizer que a garota é fraca só por que ela não conseguiu enfiar uma faca na orelha do pai não vai ajudar na auto-estima e nem vai fazer com que ela fique mais "durona". Por sorte, Mika, a mais nova, se vira par Carol e diz "Ela não é fraca. Ela só está perdida", essa garotinha podia ter se tornado uma das minhas personagens preferidas se eu não tivesse a clara suspeita de que é ela que está alimentando ratos aos zumbis.

Carol também teve uma conversa muito sugestiva com Carl quando pediu novamente para que ele não contasse ao pai sobre as aulas que estava dando para as crianças; por mais que o grupo seja unido, Carl só tem Rick como família, a morte de Lori foi muito traumática para ambos e ao tentar se isolar e isolar o filho da violência e selvageria do mundo, Rick firmou um laço forte com o filho. Eu, particularmente fiquei ultrajada com o modo como Carol falou com Carl, ela estava claramente tentando manipular o menino, que, ainda bem, já bem maduro e acabou contando tudo para o pai. Rick conversou com Carol, mas decidiu não contar nada para os pais das crianças. Isso ainda vai dar muito problema, fiquem vendo. Depois de controlarem o assalto ao bloco, Rick percebe que é inútil se isolar de uma realidade que sempre os atacará na jugular no segundo que eles baixarem a guarda e devolve a arma a Carl após o garoto ter ajudado Michonne quando esta foi atacada por três zumbis.

E falando na deusa de ébano preferida do prime time; Michonne acaba se machucando e Beth, juntamente com o bebê Judith, fica por perto. Primeiro a deusa guerreira se mostra muito incomodada com o choro do bebê, mas quando Beth pede para que Michonne a segure vemos um lado completamente diferente da personagem; todos vimos como ela ficou chateada quando Andrea morreu, mas esse momento... AH! Esse momento fui um dos mais bonitos da série, Michonne segura a Little Asskicker e começa a chorar enquanto abraça o bebê. Teria ela perdido um filho? Um irmãozinho? Um sobrinho? Tem caroço nesse angu! Finalmente os produtores resolveram explorar mais o passado de uma das personagens mais misteriosas das séries.

Voltando para o pânico e a confusão, não bastando o ataque zumbi interno, os walkers do lado de fora começaram a se amontoar em uma das cercas da prisão que começou a ceder.
Essa pra mim foi uma das cenas mais angustiantes do episódio, mas até do que o ataque interno; isso porque acredito que foi um simbolismo muito bem utilizado pelos roteiristas para mostrar quão frágil é a segurança na prisão e que isso não vai durar pra sempre; tudo isso é prelúdio para toda a desgraça que ainda vai se derramar sobre o grupo de sobreviventes. A cerca não vai aguentar e Rick pega os três leitões dos quais ele e Carl estavam cuidando e os soltam no gramado para serem perseguidos pelos zumbis. Essa também foi uma cena muito triste já que, através da atuação fantástica de Andrew Lincoln, era possível quase sentir a dor de Rick ao abrir mão daquilo que não só ele havia nutrido durante tanto tempo com seu próprio trabalho, mas também os porquinhos representavam a estabilidade que ele achava ter encontrado e da qual agora ele estava abrindo mão para ser devorada pela realidade.

A prova disso é a nova epidemia que se alastrou na prisão. Após terem constado que a morte de Patrick foi causada por uma gripe da qual ele morreu e então "zumbizou", Karen (a atual senhora Tyreese) se viu tossindo juntamente com um tal de David. Rick toma a decisão mais sábia e põe os dois em quarentena, porém quando Tyreese vai visitar Karen ele encontra um trilha de sangue que leva da quarentena até um pátio onde ele encontra dois corpos carbonizados.


MIRABOLAÇÕES FINAIS:

Super leve esse episódio! 

- Estou curiosa pra ver como eles vão conseguir conter essa epidemia.
- Quem carbonizou os corpos?
- CADÊ o Governador!?

O que acharam desse episódio? Comentem!


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...