12 de fev de 2014

Review - The Walking Dead S04E09 After


The Walking Dead está de volta após um longo hiato.

A segunda metade da quarta temporada se inicia logo após os eventos que se sucederam no episódio 08. Após o assalto do Governador, a prisão está novamente lotada de Walkers e o grupo sobrevivente está dividido novamente como aconteceu no final da 2ª temporada; só que dessa vez não existe ponto de encontro.

Esse episódio se focou em dois núcleos de sobreviventes, Carl e Rick e Michonne. O ex líder do grupo e seu rebento se aventuram nas cidades vizinhas à prisão em busca de comida e abrigo, Rick ainda se encontra terrivelmente debilitado física e psicologicamente o que faz com que Carl, de luto pela suposta morte da irmã mais nova, se torne mais rebelde e irritadiço depositando a responsabilidade de tudo no pai, o que faz com que os dois briguem constantemente.
Na casa em que resolvem se refugiar, Carl encontra o que poderia ser o quarto intocado de um garoto da sua idade; é muito bonito ver toda a maturidade do personagem desmoronar frente à oportunidade de ser apenas um menino de 14 anos, Carl foi um dos personagens que mais mudou de uma temporada pra outra, ele passa de menininho da mamãe pra bad ass independente, o fato de ele crescer nesse ambiente contribuiu para que ele se tornasse mais frio e prático do que os outros. 

Por causa de toda sua exaustão mental e física, Rick passa um dia desacordado, nesse meio tempo, Carl resolve vasculhar as outras casas em busca de comida e aventuras. Enquanto isso, Michonne luta sozinha para manter a sanidade, por meio de sonhos e flashbacks podemos saber mais sobre sua história; ela tinha um irmão, um marido e um filho (o que explica sua cena emotiva com Judith na prisão), todos morreram, mas ela sobreviveu... Ela sempre sobrevive. Entre dormir em um carro e caminhar lentamente entre uma horda de zumbis, Michonne revive seu passado e tenta se curar de seus traumas. Ela retorna a estrada e segue a trilha deixada por Carl e Rick.

De volta a casa, Rick acorda fazendo gemidos guturais e se arrastando, o que faz com que o filho pense que ele havia se transformado em um caminhante vivo; Carl aponta o revólver para o pai, mas, como ele mesmo admite, não tem coragem de atirar. O garoto percebe que, apesar de possuir grandes habilidades de sobrevivência não pode se desconectar tão facilmente de suas relações humanas. Pai e filho parecem ter se entendido de uma vez por todas.

O episódio termina com Michonne encontrando os dois.

Por serem diversos núcleos divididos os próximos episódios devem se focar em cada um deles separadamente e sua batalha para sobreviver em campo aberto mais uma vez; depois de tanto tempo no conforto e segurança da prisão como cada um deles irá reagir nesse ambiente extremo? The Walking Dead vem mostrando que nunca vai haver um local seguro para o grupo de sobreviventes, quando eles menos esperam tudo lhes é tirado... O quanto alguém pode aguentar?

PS: Escrevi "suposta morte" do bebê Judith por que têm pessoas jurando que algum outro integrante do grupo salvou o bebê. Eu particularmente acho que ela morreu realmente e preferiria se assim o fosse; não me entendam mal! É só uma forma mais violenta de mostrar que não se pode proteger a todos e que não há espaço para fragilidade nesse mundo.

O que acharam desse episódio?












0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...