1 de mai de 2014

Review - The Blacklist - S01E20 - N° 42: The Kingmaker


Sei que isso já esta repetitivo, mas, Red, o que você é da Lizzy afinal de contas?? Porque isso já esta começando a me assustar...

Bom, indo ao episódio em si, o caso da semana foi interessante, não o melhor, ainda mais para uma reta final de temporada, mas ainda assim, foi interessante.
O tal Kingmaker era um senhor muito psicopata e frio que fazia o possível, impossível e inimaginável para eleger determinado político e consequentemente, derrubar outro. Tudo começa quando um homem, que ao que tudo indica era aliado do Red, é morto a mando do Kingmaker. Além de pedir ajudo do FBI, Red conversa com Alan – o carinha que mandou prender e torturar ele nos episódios 9 e 10 – explicando que se ele morrer, o segredo que ele guarda pode vir a tona.

E aqui, devo admitir, que não faço a menor ideia de para onde as coisas estão levando, quer dizer, o Red faz parte de uma aliança, mas Também tem contato com essa aliança do Alan, que pelo visto é tipo, a máfia que controla a máfia, mas eles parecem, ao mesmo tempo que odeiam o Red, o respeitam e de certa forma ate o temem. O que me leva a questionar, quem, afinal de contas é o Red e quem é essa máfia a qual o Alan pertence??

Bem, voltando ao Kingmaker, ele esta “ajudando” um deputado, Patrick Chandler, a subir no senado. E vamos concordar que a meticulosidade com que o cara planejou cada movimento do deputado e a estupidez (?) nem sei como me referir ao que o deputado fez com a própria família só para ‘ser destaque’ e ‘ganhar popularidade’.
Enfim, enquanto Lizzy e Ressler seguem as pistas do Kingmaker, ela também tenta descobrir se as fotos que ela encontrou no cofre – que eram do Red no hospital ond

e o pai dela morreu – eram verdades. Sabe que já ate imagino a Lizzy e o Ressler ficando juntos no final de tudo. A relação entre os dois melhorou muito do inicio da serie pra cá, e depois da morte da Audrey, eles realmente se aproximaram mais e agora com a história do Tom, sei lá, acho que eles fazem um casal bonitinho.
Quando finalmente o FBI consegue chegar ao alvo do Kingmaker, um senador, o homem já foi baleado, e a Lizzy, novamente, leva uns tapas do ‘cara do mal’, e para nossa imensa surpresa – ok, nem tanta surpresa assim – Ressler dá um tiro na cabeça do Kingmaker sem nem ao menos pensar que o homem deveria ser interrogado... enfim né... Realmente eu tive de rir quando o Red disse pra Lizzy que ele precisava falar com o Kingmaker e ela disse que ele estava morto. A cara de raiva do Red foi ótima. E a conversa final dele com o Alan foi muito boa também. Uma sutil ameaça direta, bem a cara do Red.

Mas vamos ao que valeu o episódio inteiro, os minutos finais, quando o Aram diz pra Lizzy que o Red esteve no hospital no horário em que o pai dela foi morto e ela vai atrás do Red. Eu sei que deveria esperar tudo do Red, mas ele responder “sim” quando ela perguntou, pela terceira vez, “Você matou ele?” eu confesso que não esperava.

É bem compreensível que a Lizzy tenha ficado com raiva do Red e tenha dito que pra ela tudo acabava ali e tal, afinal ela perdeu o pai, e o Red estava afirmando que era o responsável por terminar com o sofrimento do Sam. Mas ainda assim, eu não consigo não gostar do Red, eu acho que a história é muito maior do que ele consegue ou quer explicar, e a expressão de sofrimento no rosto dele só me faz querer que o maldito que fez ele se tornar o que é sofra as consequências adequadas.
E claro, como não falar do fim do fim, com a Lizzy indo atrás do Ressler e dizendo “Eu não sabia mais para onde ir” e ele dando espaço para ela entrar...


Esperando ansiosamente para os próximos episódios, onde espero descobrir ao menos mais uma pista sobre qual a verdadeira relação do Red com a Lizzy... Bom pessoal, por hoje é isso, espero que tenham gostado e ate a próxima ... *-* 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...