23 de out de 2014

Review | The Flash - S01E03 - "Things You Can't Outrun"

"Contra algumas coisas você não pode lutar. Você tem que conviver com elas."

Essa semana The Flash retorna com um episódio menos focado na ação e mais em seus personagens, trabalhando seus passados e como alguns acontecimentos os marcaram para sempre, trabalhando esse tema não só com o protagonista, mas também dando destaque a uma outra personagem que vem cativando cada vez mais o público e teve seu maior momento na série até agora.

Através das memórias de Caitlin e Cisco, tivemos um vislumbre do que aconteceu na noite em que o experimento com o acelerador de partículas falhou. Vimos ali uma Caitlin completamente diferente da que estamos acostumados, feliz, empolgada com o experimento e as vésperas de um casamento com seu noivo, Roni, porém como bem sabemos essa história não teve um final feliz. O flashback explicou melhor a fala de Caitlin na season premiere para Barry, mostrando o quanto a morte do noivo a afetou, ainda mais por ele só estar lá por causa dela e por ter se sacrificado para salvar todos. As cenas entre ela e Barry foram bem emocionais e bonitas de se ver,  e possivelmente uma grande amizade deve brotar dai, além do que ela vai precisar de alguém quando descobrir que seu namorado ainda está vivo.

Vimos ainda o quanto a morte da mãe de Barry o afeta até hoje, mesmo depois de tanto tempo. O diálogo entre ele e seu pai sobre quando ele aprendeu  a andar e como correu direto para os braços da mãe foi motivador e bastante emocionante de se ver. Com relação ao luto, realmente só quem "entende" é quem já passou por isso, e como Barry disse, há dias em que dói mais até mesmo do que no dia que se perdeu aquela pessoa querida, mas devemos seguir em frente porque apesar de trágica, a vida também é preciosa e devemos viver. 

Algo que reclamei um pouco na primeira review foi sobre a superficialidade, naquele primeiro momento, da relação entre Barry e o detetive West, porém depois da semana passada e do episódio de ontem, realmente tenho que admitir que os produtores souberam como aprofundar a relação entre eles e estreitar ainda mais esse laço de pai e filho. O Detetive West tem grande influência sobre Barry, seus conselhos levaram o garoto a não desistir diante da primeira dificuldade, depois a aceitar que algumas simplesmente acontecem e temos que aprender a conviver com elas e por fim a fazê-lo desistir de tirar seu pai da cadeia sem provar sua inocência. A interação entre os personagens está muito mais verossímil e natural agora, rendendo bons momentos.

O caso da semana envolveu um meta humano que conseguia se transformar em gás tóxico, e usou sua habilidade para se vingar daqueles que o traíram, e dos responsáveis por sua prisão e execução. Os efeitos especiais melhoram a cada semana, o embate entre o Névoa e o Flash ficou bem legal e a maneira usada para derrota-lo, usando um simples conhecimento de química uma boa sacada e mostra que mesmo num universo onde um homem corre mais rápido que a velocidade do som, algumas regras da física e química se mantém.



Tivemos também o drama de Iris e Eddie, tentando esconder o relacionamento do pai dela. O plot foi meio bobinho, e diante da grandeza e intensidade dos outros passou quase que despercebido. Como já era de se imaginar, o detetive West que de besta não tem nada, já sabia do namoro dos dois e como todo bom pai policial, ameaçou o rapaz.

Essa semana também foi levantada uma questão bastante interessante: o que fazer com os meta humanos derrotados? Uma simples prisão não poderia conte-los, então seria necessário criar um confinamento específico, capaz de suprimir seus poderes, e a saída foi utilizar a velha instalação do acelerador de partículas. A ideia parece boa, mas a longo prazo pode ser algo bastante perigoso, quase que uma bomba relógio, visto que muito provavelmente um deles vai acabar fugindo ou fazendo uma aliança com os outros para se vingar.

Por fim, tivemos mais uma cena enigmática envolvendo o cientista Wells. Na última semana, descobrimos que o cientista pode andar e ainda cometeu um assassinato para "proteger" o Flash, e agora ficamos sabendo também que na noite em que Barry foi atingido pelo raio, ele estava sendo observado por Wells, que já sabia exatamente o que aconteceria depois, levantando o mistério de como ele sabia, porque estava vigiando Barry e em qual lado ele realmente está, se é um vilão ou não, pois até o momento suas ações são bastante duvidosas.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...