2 de out de 2014

Review| Gotham - S1E02 - Selina Kyle



Gotham, a cidade do descaso.

Depois de uma estréia que dividiu opiniões, mas que teve uma grande audiência, Gotham retorna essa semana com um episódio que a princípio não parecia tão interessante, mas conseguiu desenvolver sua história própria e ao mesmo tempo trabalhar um arco maior, que deve se resolver no final da temporada.

O caso da semana envolvia um casal de sequestradores que usavam um caminhão de comida para atrair jovens sem tetos, num esquema de tráfico de crianças. Os atores ficaram muito bem como sequestradores, os olhares sinistros e sem emoção realmente convencem e assustam o público da mesma forma que assustaram as crianças. Como já era de se esperar,  os detetives Gordon e Bullock conseguiram solucionar o crime e prender os criminosos, mas antes disso, acompanhamos a jovem Selina Kyle já demonstrando do que é capaz.

Apesar de ter seu nome no título do episódio, diante de tudo que foi apresentado, Selina ainda teve pouco destaque. O episódio nos mostrou que a vida nas ruas ensinou muito a Selina, que já consegue cuidar muito bem de si mesma desde jovem, não só utilizando suas habilidades físicas como também o jogo psicológico, como na cena em que ameaça o policial na delegacia. O plot dos sequestradores serviu para estabelecer uma relação entre a personagem e Jim Gordon, algo que provavelmente vai render bastante, visto que a jovem viu o verdadeiro assassino dos Wayne.

A partir do plot principal, mais uma vez vimos um elemento forte presente em Gotham City : o descaso. Em todo o episódio vimos casos de descaso por parte não só da polícia como também do poder local, ninguém se importava com as crianças nas ruas, a polícia proibiu que a noticia fosse para a imprensa para evitar pressão, e se não fosse pela namorada de Jim a notícia realmente não teria vazado. Com o vazamento o prefeito teve que se pronunciar e tomar alguma atitude, e mais uma vez foi demonstrado o descaso, o representante do poder local utilizou a situação para se livrar das crianças nas ruas, disfarçando isso com um discurso cheio de boas intenções.


Um ponto interessante mostrado na série e que não é algo muito aprofundado nos filmes é a relação de Alfred com Bruce antes do Batman. Nos filmes, sempre vimos Alfred como o fiel escudeiro do Bruce, mas nunca vimos o impacto que a morte dos Wayne provocou em sua vida, uma vez que ele se tornou o responsável pelo jovem garoto. O mordomo nunca teve filhos, e foi interessante ver essa vulnerabilidade do personagem, desesperado sem saber o que fazer para ajudar seu protegido, recorrendo então a Jim Gordon, que se tornou uma referência para Bruce depois de demonstrar comprometimento em solucionar o assassinato de seus pais.

Apesar do foco da série não ser o Batman, desde já podemos ver como o trauma da morte dos pais afetou o jovem Bruce Wayne. O jovem ator tem uma missão complicada, visto que a medida que a trama evolui ele tem que construir o Bruce Wayne que se tornará o Herói, mas sem ser o Batman propriamente dito. Sua expressão em cena é séria, fria, com um Bruce conhecendo suas próprias trevas, tentando vencer o medo e desde já tentando entender como sua cidade funciona, o que mesmo de maneira primitiva, já coloca as cartas na mesa para o surgimento do homem morcego no futuro.

A morte dos Wayne causou um desequilíbrio não só em Bruce Wayne, como também  em Gotham. De alguma forma, sua presença era necessária para que os negócios de Don Falcone continuassem a pleno vapor, porém agora que eles se foram uma segundo grupo ameaça o domínio de Falcone,  a família Maroni. O maior chefe da família Maroni, Sal Maroni, deve dar as caras em breve, visto que já foi confirmado que o personagem estará na série, mas apesar de ser o principal antagonista a Falcone no mundo do crime, a preocupação deste último não está em Maroni e sim na própria Fish Mooney, ele já entendeu que Fish vem tramando nos bastidores pra tomar seu lugar, e por isso já tratou de intimidar a moça, mostrando que não está para brincadeira.


Por fim, de certa maneira alheio aos eventos principais vimos o que aconteceu ao Pinguim depois de sua falsa morte semana passada. Não canso de dizer que, apesar do bom elenco, o grande destaque em "Gotham" é o Pinguim, inclusive recomendo que nunca o chamem assim, parece ser a chave para despertar o seu lado psicopata. Depois de vê-lo matar um senhor por causa de um sanduíche, não surpreende o assassinato que executou no episódio, e um plot que deve ser interessante será seu retorno a Gotham, como ele mesmo disse que aprendeu a sua lição, podemos esperar grandes coisas desse retorno.

PS: Foi mencionado que os seqüestradores trabalhavam para o Dollmaker. Para quem não conhece, na saga Novos 52, o Dollmaker é o vilão que no começo da história do Batman, remove cirurgicamente o rosto do Coringa, sendo uma das histórias mais pesadas da saga.
PS: A droga utilizada nas crianças possui relação com oAsilo Arkham. Será que veremos mais sobre essa prisão, ícone da mitologia do homem morcego?


E ai estão gostando da série? Comentem! Fiquem com a promo do terceiro episódio intitulado "The Ballonman.


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...