28 de out de 2014

Review| The Originals – S02E04 – "Live and Let Die"




















No final, todos lutam por quem amam.


Depois de uma tensa reunião de família, The Originals retorna essa semana abusando da agilidade para desenvolver todos os personagens e ainda introduzir novos, trabalhando três plots interligados e trazendo novas e inesperadas alianças, além de retomar um relacionamento que tinha ficado ofuscado na reta final da temporada anterior. Definitivamente, a cada semana a série fica ainda melhor.

Como vimos nos episódios passados, Esther criou uma aliança com os lobos, dando a eles anéis da lua em troca de sua lealdade, o que faz parte seu grande plano para exterminar os vampiros e tudo que seus filhos mais amam para que estes recorram a ela. Devido a aliança e a velha rivalidade entre os dois grupos, os lobisomens dão um ultimato ao grupo de Marcel para que estes deixem o local onde estão, porém o que deveria ser o estopim de uma guerra entre eles acabou formando alianças bastante inesperadas, onde vimos vampiros, lobisomens e uma híbrido trabalhando juntos em uma única causa: salvar aqueles que eles amam.


Com isso, vimos uma maior aproximação de Elijah com os vampiros, afinal eles são seus iguais e ao vê-los ameaçados, o original resolveu agir, ensinando sua mais nova pupila, Gia, como lutar, rendendo uma cena em que rolou muita tensão sexual, mesmo com o ator Daniel Gillies dizendo que não haverá nada entre eles. Tudo caminhava para um grande banho de sangue, porém o plano de Esther para aumentar seu exército foi revelado, o que levou uma parte dos lobisomens a se juntar a Hayley, Elijah e cia em um plano para salvar os jovens lobisomens. A cooperação entre eles levou a execução de um plano praticamente perfeito, e pode apontar que talvez o caminho para resolver a situação em New Orleans seja justamente esse, porém até chegarem a essa conclusão, muita água vai rolar e Esther jamais aceitaria isso sem agir.

Sabendo que Klaus viria atrás dela após descobrir sobre Mikael, Davina se isolou na cabana de sua família, o que rendeu mais cenas com Mikael. O diálogo entre eles traz a tona a ideologia de Mikael para criação de seus filhos, segundo ele o pai deve endurecer os filhos, fazendo-os fortes, assim como ele fez principalmente com Klaus. Após machucar Davina, a bruxa recorre a Kaleb para ajuda-la, fazendo com que ele descubra seu esconderijo e confirme que ela possui a velha estaca de carvalho branco, além de dar a Mikael o que ele precisava para se livrar do controle da bruxinha. Ainda sobre Kaleb, não temos certeza de suas intenções com Davina, mas parecer ser algo que vai além do interesse de sua mãe na garota, inclusive spoilers recentementes indicam que a web série "The Originals Awakening" trará algumas pistas sobre o interesse de Kaleb/Kol na jovem bruxa.


Com Mikael livre, o embate com Klaus era inevitável, e vimos um confronto tenso entre pai e filho que se odeiam a milhares de anos. A sequência em si poderia ter sido melhor, mas foi bom ver Klaus ter um pouquinho de competição numa luta, mesmo tendo todo o seu poder a disposição, e também foi criativo vê-lo utilizar a adaga de Papa Tundee para neutralizar o pai, ainda mais considerando que essa adaga proporcionou um dos momentos mais tensos da temporada passada. Acontece que ao invés de mandar Mikael ganhar seus infernos, Klaus acabou deixando-o vivo e sofrendo com o poder da adaga, porém Papai Original mostrou que seu ódio é mais forte, retirando a adaga do peito.

Um relacionamento que tinha ficado um pouco para escanteio e que vimos aqui foi o de Klaus e Cami. Muitos fãs da série não gostam muito da personagem, ainda por causa do mimimi envolvendo Klaroline e apontando a garota como uma substituta para a Barbie vampira, porém discordo dessa visão. Cami pode não ser uma personagem tão interessante quanto as outras, porém seus diálogos com Klaus são bastante intensos e profundos, e é visível que o híbrido a esculta e dá valor a suas palavras. No fim, Cami é a única pessoa que realmente escuta Klaus e tenta aconselha-lo, mesmo quando perde a cabeça e se irrite com ele, assim como Elijah ela tem uma atração por casos perdidos, nutrindo um sentimento por Klaus. Se isso vai virar romance um dia, só esperando pra ver.


Ao que parece, Esther mais uma vez estava um passo a frente de todos e atingiu seu real objetivo : capturar Elijah. Enquanto todos acreditávamos que ela estava apenas tentando ampliar o seu exército e destruir os vampiros, tudo não passava de uma armadilha para capturar o nobre original, sabendo ela que, devido a natureza dele, com certeza intercederia na situação. Agora resta saber o que ela pretende quando diz que irá purifica-lo, e o que isso tem a ver com as memórias envolvendo Tatia.


PS: O que acharam de Aiden? Introdução do personagem foi natural e deu pra simpatizar com ele. 
PS: Um romance surgindo entre espécies diferentes. Quem já está shippando Aiden e Josh??
PS: Como o Finn é irritante. Daqui a pouco ganha o troféu Monique 2014.
PS: Gostei da Gia. É vampira a poucos dias e não tem mimimi, já participa de missões com o elenco principal e tudo. 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...