8 de out de 2014

Review|The Blacklist - S02E03 - Dr. James Covington n°89


“Valorizar a lealdade acima de tudo.”

Red e suas histórias de vida, imagina ele educando uma criança, teria algo a contar para cada coisa certa ou errada que a criança fizesse. Queria ver isso... mas vamos ao episódio.

Quando começou com aquele moço fugindo, achei que ele fosse vítima de um bandido ou algo assim, mas eu jamais imaginei que ele seria encontrado com o peito aberto e o coração faltando. Ok que eu demorei pra acompanhar os acordos do Red e o caso da semana, mas foi um episódio ótimo. Seja pelo tema incomum, ou pela atuação dos personagens que estão muito boas.

O que falar sobre aquele sonho da Lizzy, eu só descobri que era um sonho quando o Red entrou e atirou no Tom, porque né, o rapaz pode ser o cara, mas nem com horcrux sobreviveria a tantos tiros. Tadinha da Lizzy, está ficando paranoica, ou não né, já que no final ela tinha razão sobre o moço que estava perseguindo ela. Aproveitando que falei em final, minha Nossa, quem é esse cara, e pra quem ele trabalha, espero que ele esteja cuidando da Lizzy, não esperando o momento certo para atirar nela.

Sinto falta de mais cenas entre ele e a Lizzy, eles só conversam quando ele precisa passar um nome ela, e isso é assustador, porque em The Blacklist’ quando as coisas estão calmas de mais, algo ruim esta a caminho. O nome dessa semana foi o Dr. James Covington, e quando o Red disse que ele roubava órgãos e era responsável por manter muitos criminosos vivos com suas cirurgias, eu já achei interessante. Quando falaram com a esposa do moço que teve o peito aberto, e ela disse que o coração do marido dela não foi roubado, mas sim pego de volta por falta de pagamento, eu achei inacreditável, tráfico de órgãos eu já havia ouvido falar, mas aluguel de órgãos nunca.

Bem, eu falei mais acima sobre os negócios do Red, quando ele falou com aquele Niko e ele levou as informações ate os outros dois homens e eles discutiram sobre os riscos do negócio – que eu não entendi bem o que era – e ai chegou aquele carinha do Berlin, e cenas depois o Niko foi falar com o Red, contando que os outros dois haviam traído ele, eu desconfiei muito, poucas pessoas são loucas o bastante para trair o Red. Então o Red aceitou de boas a traição e nem deu chance para os outros dois, Laskin e Russo, se defenderem. Nessa hora, eu tive certeza que algo ali não estava certo. Ao menos dessa vez eu tinha razão, no melhor estilo Raymond Reddington, Red ensinou ao Niko, com uma de suas história de vida, que se deve valorizar a lealdade acima de tudo. Nesse momento, não pude deixar de rir com o Sr. Vargas, que era, supostamente, o cara mal, dizendo pro Red “Serio, quantas vezes já falamos disso! Eu não gosto de sangue.”

Voltando ao Dr. Covington, que nojo do homem que seria o próximo paciente dele, quer comer coisas gordurosas e que fazem mal, ok, mas precisa ser daquela forma nojenta, deixando cair toda gordura na roupa, ou babador, seja lá o que ele amarrava no pescoço. O Red falando que as bebidas por conta da casa haviam sido mandadas por ele, e que ele havia colocado um elemento surpresa nelas foi de mais. Juro que eu achei que o Dr. Covington era realmente do mal, quando a Lizzy e o Ressler encontraram o laboratório dele e havia duas crianças respirando por aparelhos em camas médicas, eu achei que ele ia matar as crianças pra pegar os pulmões e corações delas, mas não, ele estava tentando salvar elas e outro menininho que estava sendo operado. Me senti muito mal por ter julgado o médico errado, claro, não era certo ‘roubar’ órgãos, e ele mantinha muitos criminosos vivos, mas ele salvava vidas com o dinheiro do “aluguel” que ele cobrava pelos órgãos dos criminosos. Então, isso é fazer a coisa errada pelo motivo certo, não é? Ele estava errado, mas era por uma boa causa. Achei legal a Lizzy ver esse lado da história e convencer o Ressler a deixar o Dr. Covington terminar ao menos a cirurgia do menininho.

E para encerrarmos, alguns pontos que não podem deixar de ser citados:

Como assim a Naomi deu aquele tapa na cara do Red depois de ele ter salvo ela, isso não foi muito legal não...
Red dizendo pra Lizzy experimentar a raspadinha de grapefruit, “Experimente um pouco de Grapefruit, está como você hoje, meio azeda”.
O Harold preocupado com a Lizzy, dizendo que ela podia contar com ele caso se sentisse sufocada.
E claro, o Tom, mesmo que em pesadelo, falando sobre o passado da Lizzy e sobre o que o Red não quer contar.

Por hoje é isso gente, espero que tenham gostado e até a próxima.


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...