25 de nov de 2014

Review | Brooklyn Nine Nine - S02E08 - USPIS

Mais uma semana e Brooklyn Nine Nine vem com um episódio muito bom. Além de trazer uma carinha bem conhecida pelos fãs de The Office (Ed Helms, senhoras e senhores) como participação especial, mostrou uma grande consistência nos plots e no texto. Os personagens continuam afiados no sarcasmo e nas piadas, convivendo em um ambiente em que tudo parece um caos, mas funciona perfeitamente bem - assim como a dinâmica entre eles. Mais uma vez, ponto para a série.
 

Outro ponto positivo foi a importância creditada à Rosa na missão da semana. Ela já esteve na liderança uma vez, mas sob a supervisão de Terry. Essa recente conquista prova que ela sabe o que faz e o faz bem - do contrário, não teria a aprovação e confiança do capitão para algo grande assim. O que mais gostei foi do profissionalismo dela. Todos ali são amigos, o que ajuda na maioria do tempo, principalmente quando precisam de uma cooperação mais direta em missões. Mas ela não deixou a amizade interferir em sua autoridade e conseguiu que Jake chegasse o mais próximo possível da expressão "andar na linha". Claro, ele não é o que podemos chamar de um profissional responsável e sempre coloca seus instintos na frente das ordens e até das leis. Pelo menos ele teve a consciência do erro e foi capaz de se retratar.

Tudo bem que trabalhar com um cara arrogante, que se acha mais do que realmente é e fica se gabando de sua posição superior não é lá das melhores coisas na vida profissional. Realmente foi uma difícil missão para Jake. Além de tudo isso, Jacky Danger (que tem a pronúncia de Donger, não confundam) ainda era atrapalhado - a cena em que eles deixam o suspeito escapar por uma "falha técnica" (lê-se: Danger ficou preso na chave da caixa de correio e ainda segurou Peralta pelas pernas, impossibilitando-o de correr) foi, no mínimo, ridícula e vexaminosa. A rixa ali estava bem clara, era muito mais que implicância. Apesar de todos os desentendimentos, no fim eles tiveram um bom desempenho na conclusão do caso.

 
Nessa missão, destaque para Boyle e suas trapalhadas. Ele estava especialmente inspirado em USPIS. Sua devoção a Jake poderia ser considerado um vício (tema do plot B do episódio). Ele é um detetive sem igual. Entrando no apartamento do suspeito à ponta-pés, finalizando com uma cambalhota marota e ainda dando um duplo high-five no cara (e, logo em seguida, algemá-lo) ... Não tem outra palavra para defini-lo melhor que hilário. A cara de tédio dele enquanto ouvia as histórias de Danger também foi impagável, podia até virar um meme.

Amy, quem te viu, quem te vê. Posso ter perdido a informação durantes os episódios anteriores, mas
muito me chocou saber do vício dela. Ela é tão certinha, controlada, não consigo visualizá-la "fumando às encondidas", mesmo com uma cena agindo como prova. Esse estresse todo fez com que ela ficasse ainda mais neurótica, e olha que isso parecia quase impossível de acontecer. Nesse contexto, ela procurou auxílio dos amigos, sem saber que os conselhos deles não eram de muita ajuda. Na verdade, Amy nunca desistiria - afinal, não é do fetio dela desistir. Mesmo assim, foi muito engraçado ver todas as tentativas fracassadas. E que ela também é humana, tem suas fraquezas.
 
 
No meio de toda essa história da Amy, tivemos mais uma leva de ótimos flashbacks. Terry revelou que seu vício era a comida e só conseguia vencê-lo "reiniciando" seu cérebro. Nisso, vimos um Fat Terry louco por comida, quebrando tudo literalmente por não ter o estabelecimento aberto. Fiquei surpreendida com a informação sobre o vício de Holt, ele não parece o tipo de pessoa que se prende a coisas assim. Para vocês verem que nem a mente mais genial consegue se libertar tão facilmente. Para sanar a obsessão, ele trocou as corridas de cavalo pelos exercícios - não é um exemplo esse homem? Agora eu senti falta de flashbacks da Gina em sua versão consumista compulsiva. Ficou me perguntando do que ela mais gostava de comprar. Sugestões?

Por fim, apenas mais um comentário sogre a genialidade incompreendida de Scully e Hitchcock. Confundir a caneca de café com a de tachinhas é uma fatalidade da vida. Vão me dizer que nunca fizeram algo do tipo? A jogada do "falso aniversário" foi ótima, conseguiram enganar direitinho os colegas de trabalho, que claramente os ignoram e menosprezam. Agora alguém tem dúvidas em que eles vão gastar aquela grana toda! Claro que em comida, apoiadíssimos.
 

Melhores quotes:

- “You’re my friend and I wont let you down. I’m gonna push you up. Just like a bra.” - Jake
 
Jake: “Is this whole war on drugs really worth the human cost of me spending another minute with this bahonkus?”
Rosa: “I don’t know what bahonkus means, but yes.”
Jake: “Bahonkus means butt. And I think you could’ve guessed that from context.”

- “And Amy, you don’t know this, because I don’t necessarily enjoy talking to you, but in my early 20s, I too battled an addiction. I was a compulsive shopper.” - Gina

- “I’m sorry I said The Postman was a flop. I’m sorry I said that Forever stamps are a lie, because the Earth will eventually be swallowed by the sun” - Jake

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...