11 de dez de 2014

Review|Agents of S.H.I.E.L.D. – S02E10 - What They Become...(Winter Finale)


"Mudar é aterrorizante"

Aquele momento em que o choque é tão grande que eu nem sei por onde começar. O que foi esse final, o que foi esse começo, o que foi esse episódio!! Eu acho que ainda não lembrei como respira corretamente. Olha, que mid–season finale espetacular, começando a campanha “por um episódio de MAoS com 2 horas” porque uma só não tá dando não, como disse a Bobbi, me definindo perfeitamente: ‘Quando isso terminar, eu vou chorar por uma semana’... Sem mais enrolação, vamos ao episódio. Eu já disse que foi um episódio incrível né? Certo... vamos continuar...

A começar com a May, fazendo meus batimentos cardíacos aumentarem na velocidade em que o BUS perdia altitude. Que ideia genial a dessa mulher, usar as nuvens como ‘escudo’ primário, e ejetar os misseis exatamente quando os da H.I.D.R.A. quase os atingiam, para só então ativar a camuflagem, dando a impressão de que era o próprio BUS que explodia, ah H.I.D.R.A., vocês podem tecnologia, estar em maior número, mas nunca estarão no nível da nossa S.H.I.E.L.D..

Quanto a Bobbi, eu estou mais que curiosa para saber o que ela esconde do Lance, os dois tem uma interação muito boa de se acompanhar, mas está claro que ela esconde e já escondeu muitas coisas dele. Já estou começando a viajar nas ideias, imaginando que ela esta escondendo uma criança dele, ou memorias que foram roubadas dele, ou algum acidente grave com ela, talvez até algum superpoder... Enfim, ambos foram ótimos, a dinâmica nas cenas de luta foi impecável, e o Lance conseguiu colocar ate um pouquinho de humor, satirizando o que deveria ser o panfleto da S.H.I.E.L.D..

O próximo a se falar deveria ser o Tripp, mas não estou pronta para falar sobre o Tripp, então vamos pular para Skye. Essa menina simplesmente brilhou, seja pela frieza com que encarou encontro com o Ward, pelas cenas emocionantes com o pai e Coulson ou por aquele final brilhante, a Skye arrasou nesse episódio. Adorei ela falando pro Ward “Já jogamos esse jogo de ‘Sequestre a Skye’ e não acabou bem pra você”. Mas o melhor mesmo, foi a conversa dela com o pai, que descobrimos se chamar Cal. E devo admitir que, durante a conversa deles, eu realmente fiquei com muito dó dele, por ter perdido tudo, por não poder ver a filha crescer e tal, e claro, fiquei com muito dó dela, por descobrir como a mãe morreu, por querer amar aquele pai, na frente dela, e ainda sim, de certa forma, ter medo dele. No entanto, minha compaixão por ele começou a desaparecer quando aquela expressão louca apareceu no rosto dele, e ele disse a Skye “Você está exatamente onde deveria estar”, sem contar que aquela canção de ninar, sussurrada por ele, foi muito assustador. Ele disse palavras lindas, e demostrou que ama a filha, mas o cara é louco, aquele tipo de louco assustador, e tenho a sensação de que ainda o veremos muito, acompanhando os passos da sua garotinha.

Seguindo o modelo – que deu super certo, diga-se de passagem -  dos episódios anteriores, vemos a equipe ser dividida, esse não era o plano original, mas a H.I.D.R.A. está aqui para estragar os planos originais e nos fazer ter pequenos ataques cardíacos, então, Coulson e May vão ao encontro da Bobbi e do Lance para ajudar a impedir que a H.I.D.R.A. entre na cidade alienígena, enquanto o Tripp e FitzSimmons, desceram ate a cidade, vestindo umas roupas super legais, que evita que a cidade os detecte, para ativar quatro bombas e depois explodir o lugar.  Tudo muito bom, mas é claro que Daniel Whitehall precisava ter algo em mente, eu não sei como eles chegaram a San Juan tão rápido, se foi aparatação, pó de flu, chave de portal, seja qual for a explicação, depois desse episódio, eu acredito, eu só sei que o cientista da H.I.D.R.A. é um cara que não deve ser subestimado, e quem ele levou com ele, para acabar com os planos do Cal, ela mesma, a Skye, e minha Nossa Senhora, como eu gritei e comemorei quando ela desafiou ele e pegou o Obelisco da caixa e tacou na cabeça do carinha, eu jurei que Whitehall seria o próximo, pena que eles estavam em vantagem numérica e conseguiram parar ela.

Ódio mortal da Raina, o mulherzinha egoísta, sem contar que é fofoqueira né, foi lá falar que o Ward só fez tudo isso porque ama a Skye, ah, me poupe. E falando em Ward, com esse episódio só comprovei minha teoria de que ele é, definitivamente, um sociopata. Ele não tem um lado, ele só quer a Skye, e fara qualquer coisa pra ficar com ela, não importa por cima de quem ele precise passar. Nossa, eu torci muito pro pai da Skye dar uma surra no Whitehall, ainda mais depois de ele ter ameaçado a Skye daquela forma, mas o Coulson tinha outros planos e preferiu dar um tiro nele mesmo. Sério, a cara de ódio do Cal para o Coulson foi assustadora. E enquanto as duas figuras paternas da Skye brigavam, nossa querida Skye, dava três tiros no Ward sem hesitação alguma, sim, caros leitores, ela atirou no Ward, logo depois que ele a soltou, e ainda fechou com chave de ouro dizendo: “Nunca de as costas ao seu inimigo. Você me ensinou isso”. A cara de bobo do Ward foi impagável.

E olha, eu achei que o Cal fosse matar o Coulson, claro, eu sabia que ele não ia morrer, mas se não fosse a Skye, o Coulson estaria em sérios apuros. Ela chamando o Cal de pai, e depois o mandando embora ou ela atiraria, eu achei que ele resistiria, mas as palavras dele foram ainda mais assustadoras, embora eu ache que a equipe vai aceita-la de qualquer forma, ele deve ter razão sobre “mudar ser aterrorizante”. E claro, ele não partiu sem antes chama-la de Daisy, mostrando que a teoria de muitos estava correta. Depois de ver que o Coulson estava vivo, em um surto de pânico, lá foi a Skye, sem querer, acabar fazendo exatamente o que pai dela queria.

Enquanto isso, depois de terem se separado, em uma cena realmente fofinha, onde Fitz e Simmons
pareceram muito FitzSimmons novamente, com ele errando o caminho e tudo, Tripp, Simmons e Fitz, deixam a cidade com as quatro bombas armadas. Momento em que a May, depois de tentar impedir o Coulson de seguir a Skye, avisa a eles que a além da Raina e do Obelisco, o Coulson e a Skye também estão lá embaixo. Minha adrenalina virou desespero no exato momento em que o Tripp voltou lá pra baixo, com apenas 10 minutos para desativar as bombas. Na hora me veio a Skye dizendo, no episódio anterior, que sentia que algo estava prestes a dar errado, e deu mesmo. E não falo só da Raina ter ‘ligado’ o Obelisco não, esse, foi o menor dos problemas. Eu tive certeza que o Tripp ia morrer com a explosão da bomba, ai, ele conseguiu e eu mal respirei aliviada, e lá estava o Coulson, dando de cara com o Zumbi Mack, enquanto a Skye já estava gritando com a Reina, e o obelisco começava a se tornar o que quer que ele fosse. Pra aumentar a angustia, o Tripp conseguiu chegar ate a Skye exatamente quando as paredes se fecharam em um círculo ao redor delas, e ali eu vi que algo estava muito errado. Quando a Raina e a Skye começaram a virar pedra, eu gritei com o Tripp, sei lá o que me passou na cabeça, eu só sei que ele foi tão herói em destruir o Obelisco, ai nada aconteceu, então ele começou a virar pedra e a Skye e a Raina começaram a ‘sair do casulo’ que se formou ao redor delas. Céus, aquilo foi desesperador de mais pra mim, como eu gritei pra ela levar o Tripp, pra não deixar ele ali, ele não podia estar morto, então, destruindo com meu emocional, ele quebrou, quebrou em caquinhos incoláveis. Isso não é justo, ele não precisava morrer! Não precisava!
E para finalizar, lá está a Skye com a pedras girando ao redor dela, fazendo tudo tremer, enquanto todos os outros personagens também estão em situação de perigo. Como eles podem terminar assim, eu vou pirar com todas as teorias do que pode ou não acontecer. Sem falar daquele final, com o homem sem olhos, que todos estão dizendo que é um inumano, deve ser né, ele tinha outro Obelisco e falou “outro acabou de chegar”. Medo do que vira a seguir.

Terminando, não posso deixar de falar da Jemma consolando o Fitz sobre o Mack, amei a teoria dela, fazendo uma analogia entre o comportamento do Mack e o das formigas zumbi, o ophiocordyceps foi uma das coisas mais assustadoras que eu vi na aula de ecologia, fiquei imaginando o que ele fazia com as formigas acontecendo em humanos, e ai me vem a Marvel, e mostra como seria. Gostei do Mack estar vivo, mas, não me levem a mal, eu ainda preferia o Tripp. Sei que não fui com a cara dele no começo, mas eu realmente gostava dele.


Bem, por hoje é isso agentes, agora é esperar ate março para ver o que acontece... espero que tenham gostado, desculpe pelo tamanho da Review, e que venha Agent Carter! *-*


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...