8 de jan de 2015

Primeiro Olhar: Agent Carter


"As vezes, o melhor homem para um trabalho é uma mulher"

Ola, ola Agentes, depois de algum tempo sem aparecer, devido a uma missão secreta super importante, estamos de volta para falar da tão esperada estreia de Agent Carter. Estou, na verdade, sem palavras para descrever o quão bom foi o piloto, se eu já era fã da Peggy Carter, com a serie, virei uma mega fã da Agent Carter, me senti a Simmons durante o episódio todo, tendo pequenos acessos de alegria cada vez que a Peggy mostrava porque é uma das fundadoras da S.H.I.E.L.D.

Não tem como não simpatizar com a enorme determinação, o carisma e a esperteza de Peggy Carter, sem contar esse maravilhoso sotaque britânico. Agent Carter é a única mulher dentro da SSR (Reserva Cientifica Estratégica, a futura S.H.I.E.L.D.), e embora seja muito mais qualificada que a maioria dos Agents locais e de longe mais esperta, devido aos costumes um tanto machistas da época, ela é tratada apenas como a secretária. Mas o grande destaque da personagem, é que mesmo sabendo que não dão a ela o verdadeiro reconhecimento, ela não se deixa abater na frente de seus colegas de trabalho, e ainda usa as opiniões deles, contra eles próprios e a seu favor.

O episódio já iniciou com as ultimas lembranças dela com o Capitão América, o que deu um ar de continuidade maravilhoso, como se estivéssemos partindo do ponto onde o filme terminou. Claro que não é necessário ter assistido o primeiro Capitão América para entender o enredo, a história se conta por si só de forma clara e divertida, tendo nos flashebaks apenas uma veracidade no passado da Agente Carter. Simplesmente espetacular a caracterização dela e vida dupla como Agente e 'telefonista', sem contar o figurino que dá ate vontade de ser uma Agente da época também.


E completando tudo, como se não bastasse as dificuldades vividas pela Peggy por ser uma mulher tentando conquistar seu espaço, temos Howard Stark sendo caçado por traição, por ter vendido tecnologia perigosa a inimigos dos Estados Unidos. Claro que não deixam a Peggy participar da busca pelo Stark, e é claro que ainda assim ela o encontra, ou melhor, ele a encontra. E gente, é impossível negar que Tony Stark seja filho de Howard Stark, não precisa nem de DNA, o ego, o gênio, o senso de humor em horas inapropriadas, ate mesmo a galinhagem de ambos é igual. O Howard explicando que roubaram seus "Bebês do Mal" e os estão vendendo no mercado negro, que ele não tinha nada a ver com isso foi engraçado, agora, ele falando que a formula que a Peggy precisava recuperar primeiro, tecnicamente não funcionava, mas como ele quem havia criado, devia funcionar, foi o cumulo do egocentrismo, e, a mesmo tempo, muito bonitinho.

E foi com Howard Stark que conhecemos o Jarvis 'original', que consegue ser mais fofo que filhote de cachorro, ok, nem tanto, quase nada é mais fofo que filhote e cachorro, enfim, Jarvis é um cavalheiro muito cavalheiro, ele consegue ser competente e divertido ao mesmo tempo, depois da própria Peggy, foi o personagem que eu mais gostei, as cenas com ele foram riso na certa, no entanto, sem tirar o clima de ação do momento.

Os momentos de maior destaque foram os que envolveram a Agente Carter em ação, adorei ela pedindo a tarde de folga e alegando que era por 'motivos femininos', a cara que o chefe dela e os demais homens fizeram foi hilaria. Então, enquanto o bando de Agentes fortes e espertos estava lá, indo com o plano, nossa querida Peggy Carter, com direito a peruca loira e um batom boa noite, já estava voltando com tudo feito. Obvio que não foi tão simples assim, e obvio também que a formula já não era mais uma simples formula no papel, mas sim uma bomba pronta e prestes a fazer boom. A conversa da Peggy com o Jarvis nessa hora foi realmente engraçada, agora o mais legal foi ela dando uma surra no carinha com nada menos que um grampeador.

Quando ela conseguiu neutralizar a substancia da 'bomba' cujo verdadeiro nome é nitramene, dentro do banheiro da própria casa, eu pensei 'nossa, isso foi tenso, mas trabalho cumprido né. Que trabalho cumprido o que, era só o primeiro desfecho do episódio, que ainda tinha muito a mostrar, me pegando totalmente de surpresa quando a companheira de quarto dela foi morta pelos homens que estavam atras do nitramene. Fiquei com muita pena quando ela sentou na cama ao lado da amiga e chorou daquela forma. Ainda bem que tinha o Jarvis no outro dia pra conversar com ela e dar uma solução para descobrirem de onde tinha vindo aquela tecnologia. E lá estavam os tais raios vita, usados para estabilizar a formula dos supersoldados, sendo emitidas pelo nitramene. E aqui, novamente um dos colegas da Carter se destacam, o Daniel Sousa, veterano de guerra e o único que realmente respeita a posição da Peggy como Agente.


Bem, o momento mais explosivo, sem figuras de linguagens aqui, foi quando a Peggy e o Jarvis encontraram o local onde o nitramene estava sendo produzido, em um galpão das industrias Roxxon, que parece que sera a industria vilã da serie. E aqui entra em cena o carinha que não fala e que recebe ordens de uma maquina de escrever que digita sozinha. Bom, depois de enfrentar alguns homens, ela se depara com o tal citado acima, que usa um daqueles aparelhos de laringoscopia pra poder se comunicar, e ele, infelizmente tem um caminhão cheiinho de bombas de nitramene, e joga uma no chão, não sem antes falar de um tal de Leviatã, então depois da bomba explodir, ela calmamente pede ao Jarvis que ligue o carro e dirija o mais rápido possível para pega-la e tira-los de lá. Devo admitir que não sei de onde ela tira aquela calma, eu estaria pior que o Jarvis ao ver uma explosão se aproximando de mim e meu carro não parecer rápido o bastante.

E, para finalizar em grande estilo, temos Peggy Carter, se cansando da forma como um homem rude, para não dizer coisa pior, trata as mulheres, onde sua amiga Angie trabalha, pega um garfo e com a maior descrição do mundo o pressiona contra a artéria braquial do cara e ainda o manda sorrir enquanto o ameaça e o manda não voltar mais ali e deixar boas gorjetas antes de sair. Serio, essa mulher é incrível, quero ser igual a ela quando eu crescer... Só o que me intrigou foi o Jarvis falando com o Howard no final e dizendo que ela era uma ótima escolha mesmo.

Bem, por hora é isso, logo mais postarei a review do segundo episódio, ou segunda parte da estreia de Agent Carter, ate mais e espero que tenham apreciado nosso primeiro olhar e também a serie que é altamente recomendável. Ate mais Agentes *-*

E que venham mais sete episódios e a revelação de quem ou o que é o Leviatã!

Observação: Alguém mais lembrou de Fringe durante esse episódio? Comentem!!!




0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...