15 de jan de 2015

Review| Agent Carter - S01E03 - Time & Tide



"-Sr. Stark acredita que o invasor teve ajuda de algo com tecnologia avançada.
-Sr. Stark acredita que até escovar os dentes requer tecnologia avançada"


Peggy Carter foi, definitivamente, a primeira grande mulher por traz da SSR. e consequentemente da S.H.I.E.L.D., serio, quando eu crescer quero ser que nem ela. A cada episódio é impossível não se apegar cada vez mais ao seu jeitinho 'eu sou uma agente durona mas no fundo tenho um grande coração mole'. Espero, ansiosamente, pelo dia em que o Agent Thompson e o Dooley terão de admitir o quão boa ela é. Enquanto isso não acontece, vamos ao episódio dessa semana.

A começar com a narração incrível dos primeiros minutos seguida pela pequena abertura com aquela
trilha sonora maravilhosa de se ouvir. Nem preciso dizer o quanto eu estou de Agent Carter né... O episódio em si começou de uma forma descontraída, tudo para que nem sequer imaginássemos o que teríamos no final, com um rapaz escalando o prédio onde a Peggy esta morando, a principio achei que fosse o Howard, depois que fosse um dos carinhas do Leviatã (seja lá quem ou o que for Leviatã), mas bem no fim era só um rapaz atras de uma das moças que moravam no local, tive de rir com a cara que ele fez quando deu de cara com a Peggy. Mas foi no café da manhã, depois da pobre Molly - ou nem tão pobre assim, visto que ela conhecia as regras - ser mandada embora do Griffth, que a Peggy teve uma brilhante ideia. Enquanto isso, os colegas de trabalho dela investigavam o quarto onde o carinha que conversa com a maquinha de escrever estava hospedado. Ok, eu sei que eles são a SSR e que tem toda razão e tal, mas esses agentes são um pouco arrogantes, um pouco 'eu sou o dono do mundo', no entanto, devo admitir, eles são bons no que fazem, e ficamos sabendo que, Brainn era Russo e estava supostamente morto a dois anos, o que me leva a crer que, talvez o próprio Leviatã seja algo ou alguém russo, ou a própria Hidra em seu inicio mesmo. E claro, o Agent Sousa chegou ao Howard pela placa do para choque.

Acho incrível como a Peggy faz seu próprio horário, ao invés de ir direto para o trabalho, primeiro foi atras do Jarvis, com sua nova ideia brilhante, adorei o Jarvis dizendo que é educado ligar antes de visitar uma casa e ela respondendo "Achei que mulheres estranhas andando pela propriedade não deveria ser incomum". O Jarvis é outro que se torna mais adorável em cada episódio, ele dizendo que dormiu no dia em que roubaram o Howard foi o máximo, mas o mais interessante foi a calma com que ele tratou os Agentes Sousa e Thompson quando estes bateram a porta da casa, me deu ate um frio na barriga quando eles levaram o Jarvis para a SSR. No entanto, mesmo durante o interrogatório, a calma dele foi impressionante, até eles o acusarem de traição e nos fazerem pensar que o Jarvis, nosso querido Jarvis, pudesse ter feito algo terrível e ainda ameaçarem a esposa dele, que não tinha nada haver com a história, nessa hora, como qualquer ser humano, ele perdeu a calma, quase fazendo a Peggy ter um infarto.

E nesse momento, Agente Carter entrou em ação novamente, e bolou um plano emergencial e um tanto prejudicial, e pediu a assinatura do Dooley em alguns papeis, levando com a pilha o boletim do carro roubado, e depois, no momento em que o Dooley entra para falar com o Jarvis, ela aparece na porta e diz: "Receio que tenha pego o boletim de roubo do carro por engano", liberando o Jarvis de qualquer coisa. Foi genial, mas só aumentou o preconceito, que já era bem grande, com ela dentro da SSR. O que torna seu ato ainda mais honroso.

Na sequencia, acabei por ficar com pena da Angie de novo, ela é tão animada, sempre tagarela, e
volta e meia a Peggy, sem querer, acaba cortando ela, é uma pena ela não poder contar que é uma Agente secreta. Fiquei realmente intrigada com a tal Dottie, que foi apresentada assim, sem mais nem menos e me pareceu um tanto suspeita, mas logo esqueci dela, ao ver a Carter vestida para o trabalho de campo, gente, como é que ela consegue manter a elegância ate mesmo quando vai pular pra dentro de um buraco? Enfim, ela chegar já perguntando se o Jarvis tinha algo que queria contar foi bem logico, agora a sequencia de indiretas que ela deu ate que não se aguentou mais e exigiu saber qual era a história por trás da acusação de traição foi bem divertida. E aqui, com o Jarvis contando o motivo, eu só consegui gostar ainda mais dele. Eu fiquei imaginando mil coisas, quando na verdade, tudo o que ele fez foi salvar a Anna, sua esposa, que é Judia, falsificando a assinatura do general para quem ele trabalhava. Isso pode ser um crime, ainda mais em plena segunda guerra mundial, mas foi muito mais um ato heroico do que traição, ele estava salvando a vida da mulher que ele amava, ao meu ver, ele não fez nada de errado, merece ate ser aplaudido, não condenado, e nesse ponto, parabéns ao Howard, que mexeu os pauzinhos e conseguiu libertar o Jarvis e consequentemente manter a Anna em segurança.

Quanto ao plano da Peggy de seguir o mesmo suposto caminho que os ladrões seguiram, bom, ela estava certa novamente, tudo que o ladrão precisou fazer, como ela mesmo disse, foi saber a previsão do tempo e ter um bom barco, então, foi só seguir pelo esgoto que levaria a água da chuva ate o mar e voilá, um plano simples e eficiente. Também meio que descobrimos o que é o tal simbolo que o Brainn desenhou, quero dizer, vimos ele desenhado no barco onde as coisas do Stark estavam, então, podemos concluir que talvez esse seja o simbolo do Leviatã, ou não né... no momento o importante foi que eles recuperaram as coisas do Stark, o que realmente me deu muita pena da Peggy, ela já estava em baixa na SSR e ainda não podia levar as coisas para o Chefe porque usariam isso contra ela. Gente, como não rir com o Jarvis tentando mudar a voz para avisar a SSR que as coisas do Howard haviam sido encontradas, e que graça a Carter dizendo que era pra ele se certificar que seria o Sousa a atender o telefone.

Claro que as coisas não poderiam ser simples assim, e lá estava o carinha que conversa com a maquina de escrever e ele fala muito bem, me enganou direitinho, porque eu jurava que ele também não falava, mas ele fala, e muito. Adorei a luta dele com a Carter, que susto quando ele derrubou ela e segurou aquele ferro contra a garganta dela, eu dei um gritinho de alegria quando o Jarvis chegou ao resgate, e outros tantos dizendo pra Peggy levantar e salvar o Jarvis. Adorei ela usando o 'Constritor' no braço do carinha e ainda falando para o Jarvis: "É, parece que isso funciona" e ele respondendo: "Não se você quiser uma massagem". Isso é uma das coisas mais divertidas nas series e filmes da Marvel, o humor mesmo nas horas mais complicadas.

E por fim, lá estavam os Agentes da SSR, recebendo credito pelo trabalho da Peggy, o que eu não esperava é que eles deixariam apenas um agente cuidando da unica testemunha que eles tinham, eu não gostava dos modos do Krzeminiski, mas ele tinha seus momentos divertidos, levei maior susto quando ele levou aqueles tiros, eu nunca imaginei que fossem matar um agente assim, no terceiro episódio, e para completar, ainda mataram a testemunha, devo admitir que eu praguejei quando o vidro do carro não era blindado, ai lembrei que a história se passa na década de 40. O susto que a Peggy levou quando entrou na SSR e viu as flores na mesa do Sousa, acho que ela tem uma quedinha por ele, e ele por ela... Achei bem legal no final ela se abrir com a Angie, claro que ela não pode contar toda verdade, mas da maneira dela, ela contou como havia sido o dia dela.

Finalizando, eu não acredito que o Dooley ainda esta culpando o Howard por tudo, gente, um Leviatã a solta e ele está culpando o Howard, ok que eu ainda não sei qual é a do Howard, mas nem tudo no mundo é culpa dele né... Por hoje é isso pessoal, espero que tenham gostado e não deixem de comentar... Lembrando que semana que vem não terá episódio novo, nos vemos lá pelo dia 28... até mais Agents *-*



   

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...