19 de fev de 2015

Review| Agent Carter - S01E07 - Snafu


"Acho que queria uma segunda chance de mante-lo seguro"

E aqui, senhoras e senhores, temos uma amostra do que é uma brecha temporal, provavelmente a obra de uma grande bruxo como Dumbledore, porque né, lá estava eu, feliz da vida nos primeiros minutos de serie e então, puff, já havia acabado, e eu nem pisquei! O episódio simplesmente voou, engatou na velocidade da luz e quando eu vi, estava fantasticamente acabando. Não sei pelo que começar, assim como também não posso acreditar que semana que vem será o ultimo, Agent Carter precisa ser renovada para uma segunda temporada de mais 8 episódios, é uma judiação se não for renovada.

Quanto ao começo do episódio, se eu já achava o Doutor Ivchenko sinistro, com a cena dele hipnotizando aquele rapaz de tal forma que o garoto nem ao menos sentiu quando as enfermeiras amputaram a perna dele, ele se elevou para algo muito acima do sinistro. Está certo, que naquele momento, foi uma coisa boa, o rapaz ia morrer se não amputassem a perna dele, eles estavam no meio da guerra, sem anestesia e tal, mas gente, o controle mental que o Doutor tem sobre outras pessoas é assustador, e ele sabe disso.

Controle mental a parte, outra que surpreendeu a SSR foi a Peggy, o interrogatório foi maravilhoso,
para cada prova colocada contra ela, ela usava isso a seu favor, mas o melhor de tudo, foi a forma como, mesmo assustada, ela enfrentou cada um deles, o Sousa foi o mais babaca na minha opinião, diz que gosta dela mas não deu ao menos uma chance para menina se explicar antes de prende-la e ainda fez insinuação sobre ela e o Howard, se fosse eu, antes de perdoa-lo totalmente, dava um boco soco nele. O Thompson tava é apreensivo com a reação da Peggy, amei ela dizendo pra ele, enquanto mostrava a mão algemada: "Se quer me bater é sua chance", e depois, ele ameaçador, falando que ela sabia do que ele era capaz e ela o encarando e respondendo que ele também sabia do que ela era capaz. Mas o auge, foi ela enfrentando o Dooley, o discurso dela, naquele tom autoritário e com total confiança, falando que ela não era nada alem do que cada um deles havia criado, que eles estavam agindo como crianças e o trabalho que haviam feito era mal feito, nossa, se eles achavam que eram pareis pra ela, a expressão deles demostrou completamente o contrario. Serio, quero ser como a Peggy quando eu crescer.

Então, vem o Jarvis, com toda sua fofura, ao resgate da Peggy. Eu gostei do Jarvis logo de inicio, mas
a cada episódio ele se torna aquele personagem que, depois da Peggy, eu sentirei mais saudades. Tão engraçadinho ele adentrando a 'pré-sala' da SSR e pedindo para falar com o Dooley e a Rose falando que não sabia quem era, mesmo depois dele ter dito que já havia sido interrogado ali, a cara das moças quando ele disse que tinha a confissão do Stark assinada  foi hilaria, mas não superou a expressão da Peggy ao vê-lo ali falando sobre confissões e encenação. E nesse momento, depois que o Doolley 'fechou' um acordo com o Jarvis, eu fiquei com muita vontade de socar o Sousa, porque se o Chefe despediu a Peggy, a culpa é sim muito dele. Enfim, continuando com o Jarvis, a carinha dele quando a Peggy falou sobre a confissão do Howard, e as expressões dela, não tem como não rir com esses dois, ainda mais quando ele esta tentando enganar toda SSR com uma confissão falsa.

E como já era esperado, apos um momento fofura, vem aquele ponto critico, e a Peggy vê o Doutor Ivchenko falando com alguém em código morse, e ali, ela descobre que algo vai acontecer em noventa minutos. Nessa hora, meu coração já queria pular pra fora e se tornar um ser independente, eu já tava imaginando a Dottie invadindo a SSR com as mini viúvas negras e o caos. Ai, a Peggy sai correndo, chamando pelo Dooley, e diz que vai confessar tudo, eu esperava tudo, menos aquela confissão tão emotiva. Foi de partir o coração o desabafo/confissão dela, dizendo que só conduziu a própria investigação porque ela era invisível a eles. Quando ela entregou o sangue do Steve e disse que não sabia porque não poderia deixa-lo na SSR, mas que talvez fosse porque ela queria uma segunda chance de mante-lo seguro, gente, isso foi para acabar com os sentimentos de qualquer um.

É bom mesmo que depois disso o Sousa tenha voltado atras, mas isso não o isenta da culpa de te-la
feito ter de passar por tudo isso. Ao menos eles à ouviram e foram atrás da Dottie, eu só achei que o Dooley deveria ter sido mais esperto e não ficado sozinho com o Doutor, porque tava na cara que algo ruim ia acontecer, sim, não algo tão ruim quanto o que aconteceu, mas estava claro que algo ruim aconteceria e ele não percebeu. Gostei do Thompson pedindo pro Sousa ter cuidado se encontrasse a Dottie, ele falando: "Depois do que a criança fez conosco na Rússia, odiaria enfrentar uma delas crescida", representou o fadon inteiro. E quem foi que deu de cara com a Dottie, ele mesmo, o Sousa, e olha, me pergunto qual parte do 'não pense, apenas saia atirando' ele não entendeu, eu vi muita gente falando "ah, colocaram justo o cara aleijado pra lutar com a Dottie", e dai! Ele é um agente tão bom quanto qualquer outro, ate porque, se formos pensar assim, Fury não tem um olho e luto muito bem. Enfim, achei que ele podia ter saído atirando ao invés de tentar um corpo a corpo. E o que foi a Dottie pulando pelo espaço das escadas como uma, não tenho nem uma comparação, macaca?? Seja lá o que ela parecia, foi bem assustador e legal.

Enquanto isso, Doutor Ivchenko, que se não for Leviatã, é o mentor das hipnoses maniacas da Hydra, estava fazendo seu trabalho e entrando na mente do Dooley, a forma como ele fala e o modo como pede 'foco' são, enervantemente amedrontadoras. Eu quase achei que o Dolley estava fingindo quando o levou ao laboratório, mas não, fiquei com pena dele quando levou o Ivchenko a saída e disse que sentia que não deveria deixa-lo a maleta, eu vontade de entrar na tela e dar umas bofetadas nele, pra ele acordar e prender o Doutor, mas né... Olha, não entendo porque o Howard criou tanta coisa má, eu achei que o colete era ruim, mas não que desencadearia o que desencadeou. Mas antes de falarmos do colete, um dos momentos mais cômicos desse episódio, a Peggy e o Jarvis tentando fugir da sala onde o Dooley os prendeu, o dialogo dos dois e as expressões de cada um foram cômicas de mais. Assim que se viram soltos e na companhia do Thompson, foram a procura do Dooley, e, naquele momento, eu achei que ele faria algo ruim para própria família ou que sairia correndo de volta a SSR a qualquer momento, mas não, ele ainda estava sob efeito do Doutor e tudo não passava de um sonho, e agora, havia um colete prestes a explodir no peito dele. Que agonia vê-los tentando encontrar uma forma de tirar o colete dele, e por fim, não havia o que fazer, eu não ia muito com a fuça dele, mas vê-lo pegando a arma, pedindo para que eles pedissem desculpas a esposa dele por faltar o jantar e pulando da janela e explodindo em pleno ar, foi triste, realmente muito triste.

E ainda, em meio a todo aquele caos, eles se dão conta que o Ivchenko pode ter pego uma das invenções do Stark, e embora o Jarvis não faça ideia do que essa faça, nos descobririamos momentos depois, quando a Dottie larga, em uma sala de cinema, dentro de um carrinho de bebê, um frasco com um gás, que após algum tempo, faz as pessoas do cinema começarem a se matar, literalmente falando, e quando a lanterninha abre a porta, estão todos mortos e ai... o episódio acaba.
Não quero nem imaginar o que aqueles dois podem fazer com uma quantia maior desse gás, e nem preciso dizer o quanto estou ansiosa para descobrir.

Bom, por hoje é isso, lembrando que semana que vem é o último episódio, e que dia 03 Agents of SHIELD retorna. Não deixem de comentar e de torcer para que a ABC renove Agent Carter para mais uma temporada de 8 episódios. Ate a próxima *-*

Promo 1x08 - Valediction





0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...