4 de fev de 2015

Review|The Blacklist S02E09 – N°21: Luther Braxton


"Eu não queria que você me seguisse ate aqui. Porque a verdade é que se eu não parar o Braxton, o que ele vai descobrir é que não pode pegar o Fulcro sem você" 

Olá, olá pessoal, depois de aproximadamente dois meses e vinde e um dias, The Blacklist está de volta, com um episódio, que não minha opinião, entra no top 5 episódios da série. Antes de falarmos do episódio em si, vamos recapitular, nos últimos episódios antes do hiatus, descobrimos que a Zoe era, na verdade, filha do Berlin e que o Red não tinha absolutamente nada a ver com a suposta morte da menina. Descobrimos também o que, de fato, aconteceu com o Tom, vimos que a Lizzy ainda sente algo por ele e tivemos aquele momento enigmático em que o Tom afirma “não ter dito nada a Lizzy sobre eles” para o Red, vimos a explosiva morte do Alan e, por fim, a morte do Berlin pelas mãos do Red.

Pois bem, espero que estejam preparados, porque embora não tenhamos muitas respostas, esse foi, definitivamente, um episódio revelador. Bem no comecinho, achei que estava vendo a serie errada, graças aquela chamada de jornal, mas logo tudo fez sentido, pois a chamada era para anunciar nada mais, nada menos, do que a prisão de Raymond Reddington. Eu logo imaginei que ele estava tramando algo, mas achei que era algo referente ao cofre que o Alan falou antes de explodir. Mas não, era algo um pouco maior. Uma coisa que gostei muito já de início, foi a suave recapitulação de quem o Red é, deu uma continuidade muito boa a história da série.

Quando levaram o Red para aquela prisão no meio do nada e a força tarefa não sabia onde ele estava, eu achei que ele havia perdido o controle, me senti muito boba depois, porque, quando é que o Red perde o controle da situação? Logo descobrimos que o nome da prisão é ‘A Fabrica’, um local de nível 10 usado para tirar informações – leia-se torturar bastante – de espiões treinados para resistir a tortura. Vemos também, que o real motivo pelo Red ter se deixado capturar, foi para avisar ao diretor do local que um prisioneiro iria escapar, tomar o local e matar centenas de pessoas inocentes, a começar pelo próprio diretor. E é claro que o homem não acredita, e é obvio que o prisioneiro escapa.

O interessante, no entanto, e estratégia usado por Luther Braxton – o prisioneiro em questão. – Achei o máximo as engenhocas dele para eletrocutar o guarda e depois não inalar o gás que jogaram na cela dele, sem contar a primeira aparição, onde ele parece nem sentir o baita choque que estão dando nele. Tomando a prisão, lá foi o Sr. Braxton liberar os prisioneiros que ele queria ao seu lado. Enquanto isso, Cooper juntamente com a loirinha, de quem eu desconfiei desde o princípio, já haviam mandado uma pequena força de extração para o Red, e ai sim ele foi pego de surpresa, e os pobres agentes também, porque mal colocaram os pés na Fábrica e já foram capturados, todos menos a Lizzy.

Que sufoco foi ver o Ressler e a Navabi presos com aquelas correntes no pescoço mal podendo
encostar os pés nos banquinhos. Quando aquele negociador começou a falar com o Braxton, como se ele fosse um garotinho do primário, deu pra ver que algo sairia errado, e para mostrar que o Red estava certo, o Diretor foi o primeiro a ser morto, e o Harold entrou em cena. Por um momento eu realmente achei que eles iriam enforcar a Navabi, achei muito digno da parte do Cooper dar os códigos pro carinha, claro, ela não sabia, a princípio, que aqueles códigos davam acesso a toda rede de informações do FBI, CIA e companhia. Mas como ele disse pra loirinha, onde eles estavam com a cabeça em colocar um ponto de acesso desses no meio de criminosos tão perigosos!

Junto a tudo isso, Red e Lizzy se encontram, quase achei que ele tinha abraçado ela, precisei voltar duas vezes pra entender que, na verdade, ele segurou ela pelo pescoço, achei uma graça ele perguntando “O que você está fazendo aqui?” e ela “Vim ajudar a te tirar daqui!” e ele “Veio por curiosidade” e ela, toda pomposa “Ou talvez eu me preocupe com você”. Esses dois, ele tem de ser pai dela. Mas afinal, o que o Braxton queria? Novamente, a história do Fulcro, mas hoje, tivemos uma vaga ideia do que ele é, um documento de chantagem que prova a existência dos tais moderadores e mostra algumas das coisinhas que eles já fizeram. A questão é que o Fulcro não está na Fábrica, mas existem pistas de como chegar até ele ali, e é isso que o Red quer impedir.

Como não rir com o Red dizendo: “Infelizmente, não há prisão no mundo onde eu não conheça algumas pessoas”. E olha, o Red sempre conhece AS pessoas, porque a pequena equipe que ele juntou foi muito boa. A ideia de explodir a caldeira para destruir a sala do servidor foi ótima, a cara do Red quando teve de concordar em deixar a Lizzy ir pelo duto de ar foi ótima. E fiquei muito curiosa para saber o que aconteceu entre o Red e o Braxton em Belgrado, porque obviamente há um ressentimento cortável entre eles.

Com a senha de acesso, o pessoal do Braxton pode entrar no servidor, e não havia nada que a força tarefa pudesse fazer para impedir, é ai que vemos, novamente, alguns membros do que acredito que sejam os moderadores, e quem é a analista deles, a loirinha lá, como eu disse, desconfiei dela todo o tempo, como o Braxton quer o Fulcro e o Red está tentando impedi-lo de pegar, eles supõem que o Red não tem o Fulcro, então decidem que é hora de elimina-lo e o diretor fala para o loirinha que dois misseis irão destruir a Fabrica e matar todos dentro dela. Achei isso um tanto drástico, e assim como o Harold questiona, eu também fiquei bem intrigada para saber o que o tal fulcro e os moderadores escondem, que estão dispostos a matar tantos para esconder.

Mas os momentos mais eletrizantes vieram com o Red e a Lizzy na sala da caldeira, ao chegar lá, o
Alemão não consegue mudar os comandos para que a caldeira exploda, então, eles teriam que fazer isso manualmente, só que ele não quer fazer isso, então a Lizzy sugere que ela e o Red o façam. E é ai, em uma conversa daquelas que a gente espera séculos para ouvir, e após uma analogia sobre si mesmo com os peixes-cegos do México, ele conta que precisa deter o Braxton, não apenas por autopreservação, mas sim porque se o Braxton encontrar o que quer, ele descobrira que não pode chegar ao Fulcro sem a Lizzy. E então, começa um tiroteio, a caldeira explode, joga todo mundo longe e a Lizzy não consegue acordar o Red, claro que ele não estava morto, mas que deu uma agonia ela tentando fazer ele voltar e ele não reagir, a isso deu. Como se não bastasse, dois dos homens do Braxton chegam a sala da caldeira, e para evitar que eles vissem o Red, a Lizzy os enfrenta, e é capturada.

E é ai que o episódio se fecha com chave de diamante, quando o guarda que ajudou o Red o acorda, ele descobre que a Lizzy foi levada para o Braxton, e então, ele encarna o Ultron e vai ao resgaste da Lizzy, e olha, foi incrível ele abrindo caminho por entre aqueles prisioneiros sanguinários para buscar a Lizzy. Mas é quando o Red chega até ela que as coisas dão uma reviravolta, pois quando o Red diz que ele não sabe do que está atrás, ele responde que sabe do que aconteceu a 20 anos, do incêndio e da garota, então ele se toca que a garota é a Lizzy e que ela estava lá, então o Red manda a Lizzy atirar no Braxton e os misseis explodem o lugar e Bum, o episódio acaba.

E lá fiquei eu, de queixo caído, vendo a promo, que promete um episódio ainda mais emocionante que esse. E cheia de questões também, como o que é, e o que esconde o Fulcro? Porque a Lizzy é a “chave” para ele? O Red é pai dela ou só a quer por ela ser a “chave” para o fulcro? O bom é que nessa quinta teremos mais um episódio de The Blacklist, e ai, quem sabe, teremos mais algumas respostas... Então é isso pessoal, espero que tenham gostado e nos vemos loguinho *-*

Confira a promo do 2x10 aqui:




0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...