7 de mar de 2015

Review| The Blacklist - S02E14 - n° 94: T. Earl King VI


"Arrisquei minha vida por você, porque eu me preocupo com você. Lide com isso."

Que episódio gostoso de assistir, cômico e dramático na medida certa para The Blacklist, consegui ver aquela serie que brilhava no começo se reacendendo em grande estilo. Sem enrolação, vamos ao episódio.

A princípio, aquela família não me chamou atenção, ate porque eu não achei que fosse uma família, e quando vi que poderiam ser uma, achei que fosse algo como uma leitura de testamento. O que realmente me chamou atenção foi o Red falando da Madaline Pratt, gosto muito dela, lembro de ter comentado na primeira temporada o quanto ela era incrível, por ter enganado o Red, e aqui esta ela de volta, supostamente, sequestrada pela família que foi apresentada no começo do episódio, os King.

A pergunta do Ressler, assim que a Lizzy apresenta o caso à força tarefa "Estamos inda atras de um
nome da lista negra para salvar outro", nos realmente ver o quanto o Red manipula, nem tão discretamente assim, a força tarefa. Mas dessa vez, o argumento dele foi mais do que valido, pois não envolvia apenas o Madeline, mas diversas outras pessoas sequestradas, itens de valor roubados e tudo que se podia roubar e obter lucro em troca, inclusive alguns quilos de urânio. E aqui, dois pontos importantes a serem ressaltados, no ultimo episódio, elogiei aquele amigo do Cooper, achei super fofo ele encaixa-lo no grupo e tals, e ai, hoje, ele me vem e cobra o favor, ainda por algo que vai contra todos os princípios do Cooper, é o cara não era tão legal assim. E Madeline Pratt, quando a Lizzy disse que entraria atras do cara - que por sinal era brasileiro, mas não tinha nome de brasileiro - e o Red disse que não, acreditei que ela faria alguma bobagem de novo, mas não, quem fez a bobeira dessa vez foi o Red, eu nunca imaginei que o veria em tal situação, absolutamente sem ter o que fazer, novamente, pelas mãos de Madeline. Essa mulher, definitivamente, merece um premio.

Outra coisa bem legal, é que mesmo o Red sendo o 'malvado' da história, a força tarefa se importa com ele, e a rapidez com que juntaram os pontos e conseguiram chegar a representante de um dos potencias compradores para uma obra roubada de Van Gogh, Jasephine Sullivan, foi o que permitiu que o Red tivesse uma chance de ser, vamos dizer, comprado por "mãos amigas". A Lizzy ter se oferecido, sem nem hesitar, para entrar no leilão disfarçada como a Srt. Sullivan, já é prova o suficiente do quanto ela gosta do Red, e não importa mais os laços de sangue, ao meu ver, ele já ocupa o lugar de pai na vida dela. E como é bom ver o Red sendo o Red mesmo sabendo que, dessa vez, ele não tem para onde correr, o sarcasmo dele, mesmo nesses momentos é cativante.   


E como que, para dar um up ainda maior no episódio, Tom Keen está de volta, desesperado para voltar a campo, acho que o carinha lá acertou em cheio, a Lizzy mexeu com ele, mesmo de uma forma distorcida, ele aprendeu a gostar dela. Prova disso foi que, assim que ganhou seu novo personagem, para quem foi que ele ligou para se despedir? Para ela mesma, Elizabeth Keen. Que graça ele dando conselhos pra ela se dar bem enquanto estava disfarçada. Ri com ele dizendo, "... e você sentir que vai se atrapalhar na resposta, espirre." "Espirre?" "Sim, eles vão dizer saúde ou Deus te abençoe e depois do decimo, esquecer a pergunta" e a Lizzy, toda inocente, "Eu achava que você tinha alergia". Tadinha gente, acho que ela não vai conseguir superar o Tom tão cedo, e embora eu torça por ela e pelo Ressler, acho que é com o Tom que ela vai acabar terminando.

Algo que não pode deixar de ser comentado, é a evolução da Lizzy, ela foi impecável, assumiu o
risco como se fosse algo cotidiano, e se infiltrou no leilão como se realmente fosse a Srt. Sullivan, claro, ela acabou dopada para não ver por onde entrava, e isso não foi bom para o FBI, mas da parte dela, ela acertou em cada detalhe. E enquanto a Lizzy entrava em das propriedades dos King, o Tom assumia seu novo personagem, com direito a tatuagens escritas em alemão e cabelo raspado. Estou super curiosa para saber quando o caminho dele vai esbarrar no do Red e/ou da Lizzy, porque aquele "Eu não disse à ela nada sobre nós" do episódio 08 ainda não foi esquecido. Olha, eu não entendi se havia ou não ressentimento entre o Sr. King e o Red ou se era só porque o King era um maniaco sem coração, eu só sei que amei ver o Red curtindo, ou fingindo que curtia o tratamento que estava recebendo antes de ser leiloado. R foi só graças as perguntas do Red que eu entendi o funcionamento do leilão para o Sr. King, onde o filho que arrecadou menos brincava de roleta russa.

Mas vamos de uma vez ao leilão, a performasse  da Lizzy foi brilhante, que susto eu levei ao ver aquele garotinho a venda também, mas foi um charme ela conversando com o Red como se ele fosse apenas mais uma mercadoria, aquele "eu estou aqui pelo Van Gogh. Ele deve estar fora da minha faixa de preço" foi hilario. Mas a marca do momento foi ela espirrar, assim como o Tom ensinou, quando notou que se enrolaria em responder um dos King. E quem aparece em seguida, Yaabari, o homem do qual o Red explodiu um complexo e colocou fogo em 3 milhões de dólares, pois é, agora, ele quer comprar o Red, literalmente, para uma pequena vingança. Leilão começado, e os filhos da mãe que levaram a verdadeira Sullivan a deixaram ligar para um advogado, que avisou o chefe dela, que avisou os King que a Lizzy era uma impostora. Ai não vale produção! Mas isso não a impediu de continuar brilhando, discretamente, ela deixou o local, enquanto o Red, comicamente, dava lances à si próprio.

Antes de seguirmos com o leilão, uma parada para uma significativa explicação da condição de saúde
do Cooper, ele tem um tumor inoperável no cérebro, e descobrimos isso enquanto ele, nada sutilmente, diz ao senhor que levou a Lizzy ate o leilão, que ele não tem nada a perder, então, é melhor contar a Lizzy está. Nesse momento, continuando com sua atuação, ela vai ate onde os "itens" do leilão ficam e depois de perguntar do seu Van Gogh, derruba o guarda, liberta o garotinho e vai ajudar o Red, e ai eu fiquei na maior angustia, porque ele manda ela correr, ir embora e todo mundo atras dela e então, ela sai correndo com a criança, e deixa o Red, eu já tava tendo ataques de nervos quando ela mandou o menininho fugir e voltou atras do Red. O problema é nessa hora, o Yaabari já havia pego e Red, e para meu horror, ele não quer entregar o Red à alguém e receber a recompensa em troca, pois dessa vez, a recompensa é pela cabeça, e apenas pela cabeça do Red. E o que dizer de que, quando ele tinha uma arma apontada para sua cabeça, e acreditava que era o fim, sua ultima palavra foi Lizzy. Foi tão fofo, mas nem deu pra sentir o momento porque ela já entrou atirando e salvando a cabeça dele.

Não sou uma pessoa que curte violência, pelo contrario, mas eu adorei que o Red atirou no peito do Sr. King, homem mais desprezível, e ainda se desfez do terno que colocaram nele pro leilão. Mas o mais bonitinho, foi o final, com a Lizzy entrando no carro e o dizendo pra ela nunca mais fazer aquilo, o que ela diz pra ele, foi tão emotivo, tão sincero, que ele ate ficou sem palavras, o que é bem raro pro Red. E por fim, vemos o Tom, agora Christof, se metendo em briga, em um lugar não muito amigável, suponho eu, na Alemanha.

Por hoje é isso pessoal, vamos torcer para que todos os episódios sejam bons como esse, espero que tenham gostado, e ate a próxima *-*  

Promo do 2x15 - The Major


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...