11 de out de 2015

Review| The Blacklist - S03E02 - Marvin Gerard n°80


"Quando eu olho pra você, eu vejo meu caminho pra casa."

Se a segunda temporada foi principalmente parada, com alguns ótimos episódios, essa terceira temporada veio para bater até mesmo a primeira. Seguindo a receita da season premiere, esse segundo episódio veio com cenas de tirar o fôlego, uma boa dose de surpresas e uma continuidade excelente.

Tendo seu inicio onde a season premiere terminou, já vemos a Lizzy mostrando que não está de brincadeira, exigindo a presença do Chefe de Inteligência Russa. Confesso que a principio fiquei imaginando como ela sairia dessa situação toda, sendo que ela, definitivamente, não é uma espiã russa. Mas a Lizzy, mostrando que tem os genes do Red, assim que conseguiu a atenção do Chefe de Inteligência, desatou a falar sobre o Cabal e o Fulcro, conseguindo não só o beneficio da dúvida, como também o respeito do Chefe russo. Enquanto isso, Ressler se mordia de ódio por não ter conseguido por as mãos na Lizzy e Red, como um bom mentor, estava mexendo os pauzinhos para proteger a Lizzy. Eu não canso de ver o quanto o Red é genial, não sei se ele conta com um pouco de sorte ou se ele é o melhor estrategista que o mundo já viu. Sendo o que for, foi graças ao Red que nós e também o Ressler pudemos saber que a transferência da Lizzy para Moscou era uma bela de uma armadilha orquestrada pelo Cabal e que ela não chegaria a Moscou.

Descoberto isso, lá foi o Ressler salvar a vida da Lizzy. Serio, eu não consigo entender esse cara, ele nem vacilou ao saber que a vida da Lizzy estava em perigo, ele nem pensou no que estava fazendo e foi salva-la, e que salvamento, quase tive um treco quando ele acertou o carro do FBI contra o carro dos russos e começou aquela troca de tiros com a Lizzy desarmada ali no meio, quando ele entrou na mira do carinha russo então, eu cheguei a gritar pra ele ter cuidado, foi uma sorte a Lizzy desarmar o cara e conseguir ajudá-lo. Enfim, ao mesmo tempo que o Ressler está ali, pronto pra ajudar, ele continua falando e tratando a Lizzy como uma terrorista, mesmo sabendo que ela não o é. Mas eu adorei ele enfrentando a secretária de defesa e dizendo "Estou disposto a me demitir da força tarefa se a informação do Reddington estiver errada".

Quanto a Lizzy, pode ter sido só eu, mas eu jurei que ela ia abraçar o Red, tamanho foi o alivio dela ao vê-lo ali, sentado naquele café esperando por ela. Mas não abraçou né, fazer o que. O que ele fez foi garantir que ambos estavam seguros e explicar que, na verdade, o Ressler tinha salvo a vida dela e não tentado matá-la. E aqui, credito para mais uma das ótimas atitudes do Red, achei o máximo ele levantando, sentando-se ao lado daquele carinha nojento que estava maltratando a mulher, colocando uma arma na barriga dele e dizendo "Se eu ouvir mais uma palavra que não seja 'por favor Carlie' ou 'obrigada Carlie' eu vou voltar aqui, leva-lo ao banheiro e lavar essa sua língua suja. Se não funcionar eu a corto com aquela faca de manteiga". O grande problema foi que logo em seguida algumas viaturas estacionaram em frente ao tal café, e o Red 'teve' de manter os demais clientes como reféns. Incrível como nem nesses momentos ele perde o bom humor.

Antes de dar seguimento ao 'sequestro forçado' do Red, não posso esquecer de mencionar o motorista do carro que estava levando a Lizzy para Mascou, o homem sobreviveu e era quem poderia provar que a extração da Lizzy era apenas uma fachada do Cabal para matá-la, adivinhem o que aconteceu com ele? Isso mesmo, aquele moço moreno que eu ainda não sei o nome, mas que também está com o Dembe, o matou, pois ele era uma 'ponta solta'. Serio, esse cara está começando a me dar medo. Bem, voltando ao Red, as exigências dele para libertar os reféns até que foram bem óbvias, restauração da energia, um carro para fuga e um nome da lista negra, a grande diferença aqui foi que ele não o tratou como um nome da lista negra, e olha, eu torci o episódio todo para ele não morrer no final.

Marvin Gerard é um advogado e o diferencial dele é que já estava preso, pelo suposto sequestro do filho, que falaremos mais adiante, o melhor nesse Blacklister foi a sinceridade e humor, o Ressler e o pessoal da equipe tática colocando escutas nele e ele falando "Isso não vai funcionar, se ele perguntar, eu direi que estou com escutas" e disse mesmo, mal entrou no café e já foi confirmando que estava sim com as escutas e as tirando. Marvin é um cara legal, que parece conhecer o Red já algum tempo, lá estavam eles discutindo o momento quando o carinha com quem o Red teve aquela 'conversinha amigável' tentou pegar a arma da Lizzy, minha nossa, todos sabemos que ela iria reagir, mas a surra que ela deu no cara, se o Red não tivesse gritado para ela parar, ela teria matado o sujeito. Essa menina precisa de um bom descanso, o desespero está, literalmente, a matando aos pouquinhos, e aqui eu achei que o Red ia abraçar ela, e de novo, não abraçou. Mas pudemos conhecer a história do Marvin, o que o torna, ainda mais, um blacklister diferente, o cara era um dos melhores advogados de defesa, mas o filho começou a ter problemas disciplinares, envolvimento com drogas e no fim ele descobriu que estava acontecendo porque a mãe do menino abusava dele, eles se separaram ele tentou ficar com a guarda do filho, não conseguiu porque ela era muito influente, então sequestrou o menino e foi pego, preso e o garoto devolvido a mãe, resultado, o menino se matou um ano depois e ele estava preso até o momento.

Enquanto isso, do lado de fora a equipe tática planeja entrar para resgatar os reféns, aqui destaque para o Aran, ele definitivamente não quer o Red e a Lizzy presos. Mas o importante desse momento foi que, não foi a Lizzy a ser vista e denunciada pelo 'disque denuncia' mas sim o Red e o Red nunca é pego. Admito, foi só com a desconfiança do Ressler que eu me toquei que na verdade o sequestro havia sido bolado pelo próprio Red, e que ele mesmo havia se denunciado. Nessa hora ele já estava mandando os reféns pra cozinha e saindo com a Lizzy, o Marvin, o dono do café e toda sua quadrilha de falsificação de dinheiro e claro, dois pedaços de torta de nozes. Eu sei que é errado, porque o Red é o cara mal, mas é tão bom vê-lo se dando bem e o Ressler se dando mal, quando eles invadiram o café, só estavam os reféns lá, todos bem e aguardando o resgate. E é ai que a Lizzy nos esclarece tudo, o 'sequestro' não era nada além de uma fuga limpa da cadeia para o Marvin.

Ficou bem claro que ele vai retornar, talvez em um futuro próximo, e ao que tudo indica, ele retornará com novas informações sobre o Fulcro e quem sabe, uma defesa contra o Cabal. Fiquei imensamente feliz ao vê-lo indo embora com a noiva para um dos refúgios do Red, como eu disse acima, simpatizei com ele e não queria que ele fosse morto ou voltasse pra cadeia. E para finalizarmos, a Lizzy e o Red fugindo em um barco, ele contando que queria ser marinheiro, e depois mostrando a estrela Polar pra ela e a comparando com a estrela, enquanto aquela música maravilhosa tocava ao fundo, não tem como não amar o Red. Eu queria ficar aqui, discutindo sobre essa relação pai/filha do Red e da Lizzy, mas a situação do Dembe não deixa, por favor, alguém vai lá, faz picadinho daquele cara do Cabal e salva o Dembe, porque aquelas pancadas doeram em mim!! Por ultimo, mas não menos importante, temos o Ressler recebendo a visita de ninguém menos que Tom Keen.

O que será que nosso querido Tom/Jacobe quer com o Ressler? Porque do Tom podemos esperar de tudo... E quanto o Red e a Lizzy, para onde eles vão agora?? Não deixem de comentar suas teorias!! POr hoje é isso pessoal, até a próxima *-*

Segue a promo do próximo episódio: Eli Matchett


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...