24 de out de 2015

Review| The BlackList - S03E04 - N°47 The Djinn



 "Eu estou caminhando em um parque com meu marido e entre nós está nossa filha, eu estou segurando a mão dela, e nunca a solto." 

Não sei como podem dizer que esse episódio baixou a qualidade. Serio isso, foi pelo menos 3 vezes melhor que a maior parte da segunda temporada e bem melhor que o episódio passado. \manteve o ritmo, desenvolveu histórias e dispensou qualquer perseguição, sem contar os diálogos muito bem construídos.

O episódio não começou com o Dembe, mas céus, não dá pra começar a Review sem falar do Dembe. Gente, que é isso, o homem está virando saco de pancadas. Adorei ele transformando a colher em uma faca, sem contar que o Dembe raramente fala, ai, quando ele fala, a gente já esqueceu a voz incrível que ele tem. A honra desse homem é valoriza, ele não conta o Red está e prefere morrer a clocar a filha e a neta em perigo. Então, depois de todo espancamento que ele passou, ele finalmente derrubou os guardas fugiu, roubou um carro e quando ia entrar em contato com o Red, aquele nojentinho filho da mãe - sim, eu fui tão boba quanto o Dembe e acreditei nele - deu um tiro no Dembe no momento em que ele disse "É assim que acharemos o Reddington". Olha, é bom que aquelas pessoas na rua tenham socorrido o Dembe e o levado ao hospital, porque se alguma coisa acontecer com o Dembe, vai rolar protesto. Quero o Red indo atras desse nojentinho e o cortando em pedacinhos junto com o Solomon, que só pode ser um Digimon das trevas!

Agora sim, o inicio do episódio, que já começa com alguém executando uma vingança que parecia
ser bem, canibalista. Enfim, como eu gosto do Aram, esse menino é de ouro, tadinho, quase teve um treco ao ver o Red em seu apartamento, mas foi só o Ray pedir ajuda que todo o medo virou preocupação com a Lizzy. Acho que ate os corações mais duros soltaram um "Awn" naquele abraço que ele deu na Lizzy, tão fofinho falando que ela está fantástica loira. Mais alguém notou a foto dele com a Navabi na geladeira?? Deixando a fofura de lado, o Red, obvio, tinha um trabalhinho pro Aram, descriptografar um site e marcar um encontro com a Djinn, que segundo as histórias, realizava qualquer tipo de fantasia, desejo e vingança. Adorei também a cara do Ressler quando o Aram 'o avisou' que o Red o havia procurado, ele todo pomposo "Sei o que você pensa, mas você faz o correto em denuncia-lo..." e o Aram "Foi o Sr. Reddington quem mandou".

Enquanto isso, Tom e Cooper tinham outra conversinha. Estou achando o máximo a parceria dos dois, claro que eu queria ver mais do Cooper em ação, mas ele está com as mãos atadas no momento e dar esse 'voto de confiança' já é mais do que o bastante por hora. O Tom pode ter sido um canalha, pode ser um mentiroso profissional e tal, mas ele é realmente bom no que faz. Menos de um dia e ele já tinha um plano para chegar até o Karakurt, só precisava de uma boa história, o Cooper mal deu alguns detalhes, e lá estava ele, criando uma história completa, rica em detalhes, como se fosse a história da sua vida. Incrível como esse cara consegue entrar no personagem, falar tão calmamente e passar tanta confiança. E ainda por cima, dessa vez, ele realmente ficou bem bonito, nada de cabeça raspada e olhar insano, para esse personagem, sobra charme e esperteza.

Mas, vamos falar um pouquinho mais do Djinn, como o Aram é um gênio, ele conseguiu fazer contato com a mulher, pouco tempo depois, Elizabeth Keen tem sua 'consulta' marcada. Olha, eu não sei se eu teria mantido toda calma da Lizzy ao seguir desarmada e praticamente as cegas, conduzida apenas por uma voz em um celular, quem dirá entrar em um carro sem fazer ideia para onde ele me levaria. Mas principalmente, eu quase tive um ataque quando aqueles policiais chegaram gritando "No move!!" e saíram correndo, que alivio quando eles passaram direto e a Lizzy pode continuar seu caminho tranquilamente. Chegando no local onde ela encontraria a Djinn, me assustei um pouco com a calma da mulher e com forma como ela descobriu que a Lizzy queria sim vingança, mas aquilo não era sua verdadeira fantasia. Eu pensei que a Lizzy fosse inventar algo, mas não, ela só levantou e saiu, claro, não sem antes colocar um rastreador no sapato da mulher. E aqui, vale um adendo para falar sobre persistência, o Tom tanto esperou que a Lizzy acabou ligando no café e pegando o número para ligar pra ele. Viram só, se o Tom conseguiu essa façanha, não desistam de nada também.

Quando o Red questionou a Lizzy sobre qual era a fantasia dela, acho que ele jamais esperou pela
resposta dela, não depois do inferno que virou a vida publica dela. Mas foi tão bonitinho ela falando sobre ter uma filha e segurar a mão dela... Acho que essa cena é familiar pro Red, a expressão dele demostrava compaixão e saudade ao mesmo tempo. Quebrando o momento o rastreador deu sinal e eles foram atras da Djinn, e dessa vez eu não cai na conversa, ela não poderia ser a verdadeira Djinn, cobrar horrores para realizar fantasias alheias e não morar em uma mansão. No entanto a lábia da mulher, que descobrimos chamar-se Alice, a forma como ela lê as pessoas e seu gosto pelo poder chamaram atenção do Red, e como bem conhecemos Raymond Reddington ele ofereceu um acordo a ela - se o Ray continuar assim ele será o próximo Rumpelstichen - um bom o bastante para ela entregar o verdadeiro Djinn. E aqui a grande surpresa, logo no começo do episódio, a Alice entregava um homem a uma mulher e dizia que a vingança era toda dela, no decorrer do episódio vemos que a mulher é filha do homem e que el fez algo terrível a ela, ela e o irmão foram interrogados pelo FBI e tudo, já que o pai é um grande empresario. Até ai tudo relativamente bem - já que é uma filha torturando um pai por algo que ele fez a ela - então, vem a surpresa, ela é a verdadeira Djinn.

Nessa hora eu já estava me perguntando o que ele havia feito a ela, Red estava lá para explicar. Eu costumo ter pena até mesmo de alguns vilões, as vezes, mas em The BlackList, principalmente do 'Bom Samaritano' eu desconfio até dos bonzinhos e fiquei com o pé atras quando a Lizzy soltou o homem e eles chamaram um médico e consequentemente, o Ressler foi adicionado. E eis que vem a grande surpresa, a vingança dela era porque o pai a rejeitou como comandante da empresa e que ela, na verdade é ele. Eu entendo que os costumes são diferentes, mas pelo que eu entendi ele era um menino quando o pai mandou que fizessem um cirurgia para mudança de sexo no garoto e assim ele fosse aceito pelos Clérigos, eu posso estar errada, mas isso me soou tão cruel que eu não consegui sentir pena pela situação do pai, ainda mais que ele vai ficar bem no final. Bom, o que o Red realmente queria era um tal diário escrito a mão pelo Djinn onde poderiam encontrar provas contra o Cabal. Mas gente, eu fiquei com tanta pena do Djinn, eu acreditei que o Red a levaria junto na fuga e então chegou o helicóptero com a Alice e o piloto e eles deixaram o Djinn para trás, bem nas fuças do FBI, eu fiquei morrendo de pena. E o Red ainda deu o diário de presente pro Ressler, adoro o cinismo desse cara.

Gosto também da visão da Navabi, mas acho que embora ninguém tenha mandado a Lizzy puxar o
gatilho, ela ainda é inocente, considerando a história como um todo. Preciso que o Red encontre o Dembe e que faça o Solomon pagar o mais rápido possível! E a Lizzy ligou para o Tom, o "Eu te amo" dele quase passou batido, mas vamos dar uma chance né, afinal ele está fazendo o possível para ajuda-la, e fazendo muito bem, já que em uma noite ele já conseguiu a admiração do rapazinho lá e está um passo mais perto do Karakurt. Vamos ver no que isso vai dá...

Por hoje é isso pessoal, espero que tenham aproveitado, segue a promo do episódio 2x5 Arioch Cain, até a proxíma *-*


   

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...