12 de nov de 2015

Review| Agents of S.H.I.E.L.D. - S03E07 - Chaos Theory


"Imaginei minha morte inúmeras vezes. As diferentes maneiras de como eu poderia morrer. Eu só nunca pensei que seria pelas suas mãos."

Não sei nem por onde começar viu, essa temporada realmente veio para infartar fãs e se consagrar como a melhor até o momento. Com um pouquinho mais de romance e momentos de quebrar corações em pedacinhos, o episódio ainda manteve o ritmo acelerado e fora de controle. Já estou começando a temer a mid season...

O momento angustia já veio no começo do episódio, com a May e o Andrew no Havaí, foi algo tão doce eles conversando, ela falando que não voltaria para S.H.I.E.L.D. por um tempo, ele dizendo nunca desistiu dela e não a perderia de novo, o cenário ao fundo, tudo muito lindo. No entanto, com um 'q' grande de tristeza, pois todos sabíamos que não importava o que estava acontecendo ali, eles não estavam juntos no presente. Em sequencia temos o Coulson e a Daisy discutindo sobre Inumanos, não sei como o Coulson pode confiar na Rosalind assim, cegamente, ou essa mulher fez Amortentia pra ele ou ele está enganando ela e todos nós no processo. De qualquer forma, só eu pensei que o Andrew ia se transformar ali mesmo, no meio da base da S.H.I.E.L.D.? Acho que foi uma boa ter encontrado a Jemma no caminho, ele é tão bonzinho com ela, torço pra que ele possa ser somente ele no final das contas. Quanto a Jemma, pode ser porque eu realmente goste muito da personagem e não tenha a rotulado ou criticado por ficar com o Will após perder todas as esperanças, mas ela sabia que o Fitz ia conseguir recuperar os dados da mesma forma que também sabia que ele veria os vídeos, acredito que ela queria que ele os visse, seja qual for o motivo.

Que angustia ver a May naquela angustia toda, acredito que no fundo ela sabia que o Werner havia dito a verdade, mas ela não queria acreditar, por isso pediu o histórico de voo dele dele, assim como verificou o exame de sangue, e lá estava a marcação alienígena. Depois de quase três anos não adianta nem a May fazer cara feia ou tentar não retribuir, as 'crianças' da base nunca deixarão de abraça-la em um reencontro. Temporada passada foi a Jemma e nessa a Daisy, super cute essa família do já falecido BUS e seus novos agregados. Após encontrar a Daisy, a May foi atrás do Andrew na base de treinamento, e de novo, mas não pela ultima vez, eu fui totalmente enganada nesse episódio. Jurei que o Lash estava matando o Joey, até dei um grito aqui, justo quando o rapaz estava controlando os poderes, já estava xingando o desperdício de personagens quando a cena voltou para o Joey e vimos que não passava da imaginação do Andrew, coisa que não diminuiu meu medo de a qualquer momento Lash aparecer e matar o Joey. Ainda bem que a May chegou, ou não né, visto que quando ela o confrontou ele 'perdeu' o controle e atirou nela, com uma ICER, mas atirou mesma assim. Entrou em desespero depois, o que fez pensar que ele não tem controle sobre a própria mente quando é o Lash. Outro momento fofura foi a Bobbi e o Lance conversando, ela falando que não quer que ele vá atrás do Ward, que ela não quer nenhum dos dois atrás do Ward, porque ela precisa dele e não quer perdê-lo, nem perder a eles dois. Assim fica bonito, sem drama, sem forçar a barra, eles são simples e naturalmente um casal.

Em meio a toda adrenalina e suspense entre May e Andrew, aparece a segunda cena de quebrar o coração, Fitz assistindo a um dos vídeos da Jemma, um inédito para nos também, gravado um pouco antes de encontrar água, onde ela fala de quando eles se conheceram. Ela desidratada e sofrendo em outro planeta, o Fitz chorando e respondendo os áudios e eu chorando junto aqui em casa. Pois é, não é fácil amar esses dois, na verdade é bem doloroso as vezes. Ela falando que pensava no jantar, das lembranças de uma casinha onde passava feriados com a família, deles... isso tudo, o que ela estava sentindo ali, presa em outro planeta, sem água, cansada, cheia de esperança, mas já duvidando de si, esse amor e esperança, todos depositados no Fitz, isso é o que ela sente de verdade, é com ele que ela quer estar até o final e depois dele, ela só não sabe como explicar agora. O lance com o Will foi por falta de esperança, foi apoio emocional, ela não o ama como ama o Fitz e ela sabe disso, acredito que agora o Fitz saiba disso também. Sendo assim, vamos lá garoto, ajude ela a traze-lo de volta porque é o certo a se fazer, mas não desista dela, pelo contrario, agora é o momento de fazê-la enxergar o que todos já viram, que é com você que ela quer estar.

E como não falar do amistoso passeio dentro da base aérea. Primeiro, eu não acreditei que o Coulson a levou lá, depois não acreditei que ele iria sozinho, sem escolta, para um encontro com o presidente e terceiro, assim como a Daisy eu tive que ficar quieta com o final do discurso dela. Eu queria que a Daisy tivesse feito ela ficar sem palavras e por um momento eu pensei que iria mesmo, quando ela falou sobre a Rosalind ver somente o pior dos Inumanos, mas ai ela me veio com aquele: "Para cada Daisy Johnson há um Lash". Ainda bem que utilidade do Lincoln apareceu nesse momento. Ok, deixa eu explicar antes de continuar. Eu gosto do Lincoln, ele é bonitinho com a Daisy, ele tem poderes legais e é um bom menino. Mas é revoltadinho, esquentadinho e não sabe seguir ordens, por isso disse que a utilidade dele foi nesse momento. Após pedir ajuda do Mack, Lincoln encontrou com os outros, deixando claro que o Lash só poderia ser o Andrew, visto que ele era o único com acesso a genealogia dos Inumanos, explicou também que o Andrew ainda não se transformou por completo, visto que Inumanos não são como o Hulk ou lobisomens, quando eles se transformam, eles transformam, o que indicava que o Andrew ainda estava em transição. E mais complicado ainda, ele estava com a May.

Então, Andrew conta a May o que aconteceu, claro que ele a prendeu primeiro, se não ela teria dado uma surra nele. E pelo que ele explicou, acho que essa transformação dele, que ele ainda não sabe que não durará para sempre, o faz perder o controle de si, meio que como um lobisomem, só com mais consciência, porque ele lembra do que fez, ele sente o Lash chegando, bem como se aproxima dos Inumanos ainda como Andrew, mas em seguida o 'monstro' dentro dele toma o controle, aprisiona sua consciência em um lugar onde ele não pode reagir e então faz o estrago que temos visto. E olha que tenso ouvir ele comparando a May ao que ele faz e citando a menininha no Bahin. Que tenso ver a May ouvindo sobre a transformação dele e como ele não conseguia evitar o que ele fazia. Que dor no coração ao vê-lo dizendo que ainda a amava e por fim ela quase beijando ele. Até o Coulson entrar e a ação de verdade começar. Eu tinha certeza que ele não se entregaria, mas as coisas bem poderiam ter funcionado, com uma ICER por exemplo, se o estúpido do Lincoln não tivesse entrado na sala e provocado ele. Qual é menino elétrico, desse jeito alguém acaba te colocando em uma Pokébola. Não porque o Lincoln aprendeu o Kameramera, mas isso não quer dizer que ele pode vencer um cara sem controle e que pode absorver energia. Enfim, após bater em todos, matar alguns, foi a May quem o parou. 

Acho que essa foi a primeira vez que a May fez um discurso tão emotivo, quase chorei com ela quando ela disse que nunca havia imaginado que a morte dela seria pelas mãos dele, que ela não o perderia de novo, então ele voltou ao normal e ela deu o que, cinco tiros no peito dele. Cinco, com uma arma de verdade! Não se senti alivio ou pena ao ver o Lash aparecendo, preso na câmara de contenção, então voltando a ser o Andrew e em seguida o Coulson perguntando como a May sabia que os tiros não o matariam e ela respondendo que não sabia. Claro que antes desse fatídico momento a Daisy ainda salvou a Rosalind, o Mack quase foi morto pelo Lash e o Coulson teve sua mão azul estragada também pelo Lash. Acho que não fui só eu que ficou extremamente preocupada quando a Rosalind se ofereceu para colocar o Andrew em animação suspensa naquela gelatina, né? Foi legal a May pedir a opinião da Daisy, mas por favor, descubram logo que a UCAA não é boa. E olha, não gostei do Coulson nem ao menos ter tentando ir atrás da May, era uma situação nova, inusitada, claro que ela precisava de ajuda, mas não, ele preferiu sair com a Rosalind.

Por fim, temos o Fitz ligando a logo do uniforme do Will com os desenhos entalhados nas portas do castelo onde eles abriram o portal. O que quer dizer que não foi exatamente a NASA que o mandou pra lá. Não sei, mas acho que existe muito sobre o Will e quem o mandou pra lá do que apenas pesquisas de transporte intergalático. Estou mais curiosa com a história do Will do que com a Hydra. Será que não há uma forma do Ward voltar pra equipe, assim esqueceriam esse lado vilão dele. Não gosto mais do Ward, mas também não queria que o ator saísse da serie, gosto bastante dele. Pode ter sido um momento bobinho, mas que coisinha linda o Fitz e a Simmons conversando enquanto o Sol nascia, ele falando que viu as gravações e dizendo que ela não estava bem quando gravou o vídeo que falava sobre eles e ela respondendo que ela estava tão lúcida como sempre e perguntando: "O que devemos fazer sobre isso?" e ele respondendo "Por hora, apenas ver o Sol nascer". Tem coisa mais fofa que isso? Muito melhor do que o Coulson e a Rosalind juntos, sei lá onde. Detestei aquele beijinho, e a Audrey? Como assim Coulson? Como pode ser tão burro? Não vê que ela é a inimiga! Que vontade de bater no Coulson quando o carinha do mal lá, que estava conversando com o Ward ligou pra ela e ela se reportou a ele como chefe dela. Ou o Coulson tem um plano muito bom ou ele está sendo muito burro!

Por hoje é isso pessoal, espero que tenham gostado, desculpem se em algum momento ainda chamei a Daisy de Skye, e até a próxima *-*  
Segue a promo do 3x08 One 





0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...