9 de fev de 2016

Review|The Blacklist - S03E13 - Alistair Pitt


"O pior de nós tem um lado bom, assim como o melhor de nós tem um lado ruim"

A frase é ótima, o episódio, nem tanto. Sim, foi melhor que o da semana passada, mas lembram que eu disse que se terminasse no episódio 10 seria uma temporada perfeita? Então, definitivamente, se terminasse no episódio 10 seria a melhor temporada de todas. Eu não sei o que acontece, o episódio não foi péssimo, inassistível ou algo assim, só não condiz com a excelente temporada que vinhamos vendo.
O caso da semana foi, no mínimo, estranho, muito embora tenha sido bem interessante, só acha que deveria estar em outra ocasião, poderiam ter colocado um caso que desenrolasse mais a história, não é o momento para trazer um passado do Red que não envolva a Lizzy, não agora. De qualquer forma fiquei muito curiosa para saber o que Sr. Monk e seus dois cachorrinhos fariam e como ele resolveria a guerra entre as duas famílias que apareceram se matando no começo do episódio. E devo admitir, me surpreendi quando ele propôs casamento entre os caçulas das duas famílias. Sim, eu sei que casamento arranjado ainda acontece atualmente, mas ele não pensou que poderia dar errado? Claro que uma criança em comum para as famílias acabaria com qualquer guerra, ou a aumentaria, vai saber. 

Embora o caso em si fosse interessante, fiquei o episódio inteiro me perguntando qual era o interesse do Red no Pitt, até porque, ele não pretende fazer nenhuma aliança matrimonial com nenhum inimigo. Só foi descobrir o motivo no final do episódio, quando descobri também que as cenas do Red com Josephine eram flashbacks - é, esse foi deslize meu, não do episódio. Em meio a brigas de família e disputas de poder, temos o Tom, fazendo de tudo para conseguir um emprego - até mesmo ir atrás da Gina - e a Lizzy, tomando a decisão de doar o bebê para adoção sem consultar o pai da criança. Quando apareceu ela conversando com a mulher da adoção e perguntando se poderia ver o bebê e estar presente na vida da criança, eu achei bem estranho, é uma adoção não divisão de guarda, mas, como eu não conheço as formas de adoção Americanas, achei que fosse comum lá. Bem no fim, não são, deu maior dó da Lizzy no final, quando a mulher falou que o casal queria o bebê, só não queriam a Lizzy na vida deles nem dá criança, que deveria ser uma adoção fechada. Mas a mulher falou bem certinho, se a Lizzy quer doar o bebê para adoção, ela tem que colocar na cabeça que o filho(a) não será mais dela. Anda Lizzy, se rebela e desiste logo disso, o bebê é seu, então fica com ele(a).

Bom, quanto ao Tom, ao menos ele está tentando. Tá que quando ele ficou sem opções voltou para o crime, mas vamos lá, com Raymond Reddington colocando o dedinho em cada emprego que o cara tentar achar, ele nunca vai encontrar um trabalho de forma legal, então, essa foi a maneira que ele achou de ganhar dinheiro - um bom dinheiro - e tirar a Lizzy e o bebê do radar do Cabal. Tadinho, ainda tem esperança que a Lizzy deixe o Red. Sonhos a parte, eu gostei da atuação dele, gostei do plano da Gina, muita gente reclamando que a volta dela foi sem graça, foi nada, voltou com tudo a moça. Eu só não lembrava dela e o Tom/ Jacob, terem tido algo serio anteriormente, lembrava deles se agarrando e tal, mas não lembrava de ter sido dito que eles tinham/tiveram algo serio, enfim, eu gostei da volta dela e de ver o Tom em ação, agora em prol do filhinho ou filhinha. E a Samar, tadinha da Samar, toda feliz organizando o chá de bebê da Lizzy, planejando tudo na maior animação e não vai ter um chá de bebê. Achei cruel, ela tem que ficar com essa criança, vai fazê-la ver mais o lado do Red (a história de ele fazer de tudo para protegê-la), vai ser fofinho, vai trazer um ar novo para serie, bem como centenas de novas possibilidades, até mesmo para o Cabal, acho que seria bem interessante.

Para resumir os ocorridos com as famílias que se odiavam, depois do Pitt ter conseguido que os pais concordassem, era hora de matar a noiva do filho caçula dos Eriksson, para que ele ficasse livre para casar com a caçula dos Vacarro. Extremamente cruel matarem a pobre moça, mas olha, o 'contrato' que o Pitt e seus cachorrinhos bebedores de champanhe apresentavam a seus 'clientes' era bem inquebrável mesmo. Até porque, ninguém quer morrer, já é por isso que eles aceitam a proposta. Foi ai que fiquei em duvida, será que o Vacarro pai não pensou que ao matar todos os Eriksson ele estaria quebrando o contrato? Enfim, depois do Red ter 'ajudado' o Mad Eriksson, sem segundas intenções, é claro, e ser convidado para o jantar de noivado, ele já não precisava mais do FBI. Até ai eu ainda não sabia qual era o interesse do Red no Pitt, mas já estava ligando as cenas dele com a Josephine, que casaria com alguém que não amava, ao casamento dos caçulas das famílias que se odiavam. Bem, os Vacarro estavam prontos para matar os Eriksson, mas no momento x, o Red os impediu com seu discurso nada amigável, revelando todos os caroços do angu e começando uma briga ali mesmo, até o Pitt se revelar e ele poder capturá-lo.

Então, deixa eu esclarecer meu maior motivo de desgosto, eu sempre, desde o primeiro episódio, admirei o Red, o cara é brilhante, um gênio, tem iniciativa, motivação e uma nobreza absurda, ele sempre foi um pouco cruel, pertencente ao lado escuro da força, mas ele sempre teve um código, um objetivo e jamais matou alguém sem motivo. Ai, nesse episódio, ele deixou e praticamente instigou que duas famílias inteiras se matassem e não deu a mínima pra isso. Não sei, talvez seja eu, mas há algo diferente nele desde que a Lizzy revelou a gravidez. Talvez seja medo de perdê-la, talvez ele esteja preocupado com a situação, seja o que for, o Red está diferente, mais frio, menos nobre. Ao que eu entendi, só os caçulas, que eram os noivos, foram salvos. Então, descobrimos o porque o Red queria o Pitt, ele foi o responsável por unir a Josephine a um marido abusador e psicopata, por isso a moça acabou paralisada em uma cadeira de rodas. Por vingança, o Red o matou, assim, friamente, explicando todo o episódio ao visitar a Josephine, presa em sua cadeira de rodas e sem poder segurar a mão do Red novamente. 

Para finalizar, alguns momentos e observações a mais:
* Navabi sofrendo por amor e o Aram ali, só esperando ela olhar pra ele.
*Aram falando que é importante perdoar quem se ama, em uma escuta direta com o Ressler e a Navabi. Por favor, deem mais destaque pro Aram.
*Mais alguém não lembrava do policial irritante que ajudou a força tarefa e não parava de chamar a Lizzy de 'Camarada Rostova'? Serio, eu não lembrava dele.
*Por favor Red, todo mundo te adora, mas conta logo a história da Katarina pra Lizzy, revela tudo, minhas unhas querem crescer normalmente de novo...
Por hoje é isso pessoal, espero que tenham gostado, e até a próxima *-*     

Pomo 3x14 - Lady Ambrosia 



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...