15 de abr de 2016

Review| Agents of S.H.I.E.L.D. - S03E16 - Paradise Lost


"A Iniciativa Guerreiros Secretos foi criada por uma razão"
 [...]
"Vamos chamá-los" 
Mais um excelente episódio nos foi apresentado essa semana, verdade que foram acontecimentos muito rápidos e tive de parar e voltar algumas vezes, o que não foi problema algum, pelo contrário, só acrescentou um detalhe ou outro que passara despercebido. E o final, esse final... essa série está ficando expert em entregar finais bombásticos que dão vontade de assistir o próximo episódio para ontem.   

Hoje vamos começar com o Malick, que não causou muita confusão e foi o dono dos Flashbacks, logo no inicio, temos os mini Malick, eu não fazia ideia que o Gideon tinha um irmão, caçula ao que tudo indica. Muito provavelmente por estar focada no pânico presente nos olhos do Gideon do presente, nem me toquei como o Nate poderia ter morrido.  Como o episódio teve três focos separados, para facilitar a escrita, vou tentar contar os fatos separados, sem seguir a cronologia do episódio. Continuando com os Malick, no momento em que a Stephanie, filha do Gideon, entrou em cena falando do 'convidado' eu tive certeza que o Gideon morreria, estava escrito na medo dele e na soberania do Hive, com o conselho reunido as suspeitas só aumentaram, quando ele contou a filha sobre a visão e finalmente descobrimos o que ele viu, a própria morte, com cada célula do seu corpo sendo destruída, degenerando rápida e dolorosamente, eu poderia apostar que ele morreria nas mãos do Hive. Então ele diz que foi a pior dor da vida dele e há um foco muito grande na Stephanie, isso somado ao fato de visões não serem o que parece, mudei de ideia, ficando na espera de alguma tragédia, nada me preparou para a forma de como as coisas ocorreram. 

Na S.H.I.E.L.D. Coulson está experimentando sentimentos controversos de ódio, culpa e satisfação. Ele matou o Ward, ele sabe que mataria de volta se pudesse, como a May bem explica, ele apreciou, desfrutou a sensação de matar o Ward e, mesmo sendo a coisa 'certa' a ter sido feita, isso ainda o atormenta, bem como o fato de matar o Ward por vingança permitiu que o Hive ocupasse o corpo dele, um corpo treinado para matar, treinado para não sentir dor, cheio de memórias estratégicas e conhecedor de pontos fracos. Pobre Coulson, me deu certa pena dele, a cabeça deve estar a mil. Os efeitos na mão mecânica também estão ótimos. Outra personagem que deve estar sofrendo horrores é a May, ainda mais depois do antídoto não ter funcionado no Andrew. No laboratório, FitzSimmons, acompanhados de Daisy, Lincoln e Mack estudam um dos corpos deixados pelo Hive, já chegando a conclusão que o Ward não é o Ward, mas sim o 'It' que o Will tanto temia. A teoria da Jemma de que ele também 'acorda' corpos mortos, bem como os consome não me pareceu tão louca quanto o time achou. Teorias a parte, eles tinham um ponto de partida, Daisy e Lincoln iriam atrás de um membro não muito confiável da Afterlife, os outros seguiriam até uma Agroquimica, filial da empresa que o Malick 'adquiriu' no último episódio, a fim de obter respostas e capturar o Giyera. 

Antes de falar da Daisy e Lincoln, um adendo a genialidade do Fitz ao construir armas que só funcionam nas mãos daqueles para quem foram projetadas, claro que em uma emergência onde outro membro precise usar a arma é terrível, mas para o momento, onde o foco é o Giyera e seus poderes de controlar tudo não vivo a sua volta, foi brilhante. Bom, o membro do Afterlife em questão é um Inumano em potencial, ou seja, ainda é humano, um bem mal humorado, que como Lincoln bem descreveu tem uma conduta bem duvidável. Prova disso foram as minas terrestres enterradas entre o portão e a porta da casa, uma das quais foi ativada quando a Daisy pisou em cima. O momento foi tenso, e achei que o Lincoln a desativaria, mas qual é, estamos falando de Daisy Johnson, que quando não é chata é uma das personagens mais legais da serie. Mostrando a que veio ela não apenas se livrou da mina como também explodiu todas as outras, Lincoln nocauteou o James logo depois disso. Não sei se sinto pena ou rio do pobre James, tão desesperado que estava para conseguir poderes que acreditou na história do Lincoln de dar um cristal pra ele. Amigo, cristais são caros, precisam ser plantados para uma nova geração Inumana, vai no mercado e compra Ômega 3 que tá mais em conta. Enfim, sabe aquele momento em que você vê referência onde não há, então, quando ele mostrou a esfera que havia roubado do Afterlife, a primeira coisa que me veio a mente foi uma joia do infinito, bobeira, eu sei, o importante é descobrir o que ela contem, o que me faz querer e não querer que deixem na mão da Jemma, a menina é um gênio e tem um conhecimento profundo sobre coisas alienígenas, tão profundo que quase foi morta graças a dois, não queria arriscar o terceiro.

Chegado o momento do Malick reunir o conselho e provar a existência do 'deus Inumano', eu estava esperando ele se transformar na frente de todos e matar o Gideon, visto que era isso que o próprio Gideon esperava, mas nada aconteceu, ele apenas exaltou a família Malick, isso somado a conversa falsamente desinteressada entre o Hive e o Malick, mais cedo naquele dia, sobre os antigos hospedeiros do Hive e suas memórias, duas coisas me vieram a mente: 1° O irmão do Gideon, Nate, foi um hospedeiro. 2° O Gideon sentiria a pior dor da sua vida, isso não significava a morte. Explicando um pouquinho titulo do episódio, o pai do Gideon tinha um livro "Paradise Lost", onde guardava uma pedrinha marcada, a qual trocava em cada cerimônia, garantindo assim nunca ser escolhido para viajar e ser o hospedeiro do Hive. Foi seguindo os passos do pai e traindo o irmão que o Nate acabou dentro do portal enquanto o Malick se tornava uma das cabeças da Hidra. É essa mesma pedrinha, que causou tanta decepção aos irmãos Malick, que Ward usa para mostrar a Stephanie o quão o pai dela é covarde, justamente após dar uma copia do 'Paradise Lost' de presente à moça. 

Foi ai, nesse exato momento que o Ward/Hive passou de um bom vilão ao melhor vilão de Agents of S.H.I.E.L.D. - minha opinião. O Hive por si só já é alguém assustador, o Ward conseguia ser bem psicopata quando queria, juntar os dois e mostrar que sim, o Hive guardou cada lembrança, cada memória de seus hospedeiros e pode usá-las da forma que ele quiser... eu agradeci por não ter de enfrentá-lo e senti medo pelos protagonistas, afinal, é o corpo do Ward, são as memórias do Ward, embora só lembremos das ruins, porque ele foi um filho da mãe com todos os outros personagens, houveram boas lembranças, houve confiança e principalmente, exposição de pontos fracos, então sim, isso dá bastante medo. Mas e o Malick? O pobre Malick, que eu nem gosto e acho merecia umas lições, passou por aquilo que não se deseja a ninguém, a pior dor de sua vida, a Stephanie até pareceu disposta a ver o pai ser desfigurado enquanto cada célula de seu corpo sucumbia, então, Hive dá um beijo nela e, ao invés do Gideon, quem morre é ela. Desperdício de personagem? Talvez, mas principalmente, uma morte que serviu para mostrar do que o Hive é capaz. Ele não apenas matou a Stephanie na frente do pai, como a matou usando as lembranças e jeito do irmão do Gideon, com aquela doce frase: "Agora você entende o que é sacrifício".

Com isso é de se pensar que um encontro com o Giyera seria tranquilo, certo? Errado, respeito quem gosta do personagem, pessoalmente o detesto, ainda mais de machucar a Jemma e hoje praticamente vencer a May. Quem ele acha que é para machucar a May! Mas, vamos com calma, primeiro, na Agroquimica, Mack e Coulson encontram uns pássaros e insetos mortos, em seguida Coulson encurrala Giyera em um lugar onde não há nada para ele controlar, é apenas ele e May, lutando cara a cara. E mesmo assim o cara é bom, o cara é muito bom, tirando o Ward que conseguiu bater na May, essa foi a primeira vez que eu vi alguém, sem usar poderes, praticamente vencer a May, ela apanhou feio, não fosse aquele chute certeiro nas partes baixas do Giyera, ela teria perdido. E sabe qual foi meu pensamento ao ver isso? Se a Bobbi estivesse ali, juntas elas teriam dado 'a' surra nele. Que falta Lance e Bobbi fazem. O importante é que o Giyera foi capturado, tá que ele estava tentando controlar as coisas mesmo inconsciente e isso não era um bom sinal, mas qual é, vamos aproveitar o momento vitória da S.H.I.E.L.D..

De volta a Daisy, James deixou um lado sombrio do passado de Lincoln a mostra, e uma fatalidade marcava o ultimo relacionamento do rapaz elétrico. Da forma como o James falou e do modo como o Lincoln reagiu, achei que ele tivesse matado a moça, pegado uma faca e machucado ela, essas coisas. O que ele fez foi feio, muito feito, abusar da bebida e colocar vidas em perigo, em certos casos, isso equivale mesmo a tentar matar alguém, mas nesse caso foi irresponsabilidade, não tentativa de homicídio. Sim, foi terrível ele ter enchido a cara, pegado o carro mesmo com a moça dentro, perdido o controle e batido em um poste, mas não foi por querer e ele mudou, então menos James, menos drama ao redor de Lincoln e Daisy, deixa ser natural o que quer que role entre eles, não forcem, não precisa. O bom desse momento desabafo foi a Daisy contando da visão pra ele, só não gostei daquele: "Eu não sei quando, não sei porque, mas alguém da nossa equipe vai morrer". Poxa, pra que isso, ninguém precisa morrer não, deixa todos eles vivos, inteiros e mentalmente estáveis.

Após capturar o Giyera, Coulson e a equipe partem para um local onde acreditam ter respostas, e nesse momento, Jemma já tem, em suas palavras, ao menos uma teoria sobre a Agroquimica estudava nos pássaros e insetos que eles levaram para ela, os estudos eram sobre espécies invasoras e testes eram feitos em plantas e animais para resistir a tais invasores. Quando Coulson pergunta porque o Hive iria querer isso queimado e Simmons nos dá duas respostas, fico mais com a segunda opção, Hive tem medo do que eles poderiam descobrir, afinal, como a Jemma bem disse, ela acredita que o Hive é formado pelas criaturas que degradam as células humanas, ou seja, um parasita, uma espécie invasora em nosso organismo. Como que por desgraça, com um passo a frente, temos dois para trás e o Giyera consegue fugir da cela de contenção. Adivinha quem estava na linha de fogo? Acertou quem disse 'Fitz!!'. Que é isso produtores, parem de colocar o Leo e a Jemma na linha de fogo. Bom, o que eu nunca esperei acontecer aconteceu, Giyera derrubou todo time, Mack, Fitz, Coulson e quando chegou a sala de controle do avião, lá estava May, pronta para outra luta, mas não precisou porque ele guinou o avião, jogando todo mundo longe, então o endireitou e estacionou no lugar onde o Coulson buscava respostas. Não sei, mas isso me cheira armadilha das grandes.

Destaque fofinho pra May protegendo a Jemma, gosto dessa relação de cumplicidade crescendo entre as duas. Só o que me dá medo é que o Giyera, em todo tempo que a Jemma estava presente, falou olhando pra ela e não para May, o olhar da Simmons pra May e pra ele, sei lá, me deu um certo medo, tipo uma ameaça velada, mas não sei bem pra que. De qualquer forma, May consegue pedir ajuda antes de ser nocauteada novamente e é ai que o fandom foi a Loucura, com o Lincoln incentivando a Daisy a reunir os Guerreiros Secretos, afinal a equipe precisa ser resgatada. Por fim, temos o Hive, muito cinicamente falando que o Malick supera, que sacrifícios são assim e agora ele está pronto para continuar. Eu não sei vocês, mas queria o episódio 17 fosse agora. Que venham os Guerreiros Secretos!! Por hoje é isso pessoal, até a próxima *-*

Promo 3x17 - The Team



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...