30 de jan de 2017

Review| Agents of S.H.I.E.L.D. - S04E11 - Wake Up


"Se entrar em toda sala achando que tem que cantar ou dançar, eventualmente, tudo vira uma apresentação." 

Angustia, angustia e mais angustia, isso define 'Wake up', que vamos concordar é o titulo perfeito pro episódio, que já começou respondendo a pergunta que venho fazendo a varias reviews: "Como/quando o Radcliffe capturou a May?". Supostamente há cinco tortuosos dias, mostrando o quão maquiavélico e sedento por poder o Radcliffe é, porque, pra ter um protocolo de captura da May pronto, tempos depois de descobrir do livro, ele já imaginado um cenário de captura há bastante tempo. Pobre May, o loop temporal no spa foi assustador, não assustador de 'minha nossa que medo disso', assustador do tipo: 'céus, que coisa horrível', impossível não se imaginar na situação dela, e o Radcliffe não entendendo por que ela não ficou confortável no spa, amigo, se prende em um loop sem fim e vê se você não entra em desespero. Quase tão assustador quanto o loop temporal foi a Aida questionando o motivo do doutor se preocupar com a vida da May. Definitivamente essa Aida é bem pior que a anterior, essa não consegue sentir empatia, já estou vendo uma luta entre ela e Maybô pra salvar a vida da verdadeira May.

Enquanto a May luta para fugir das simulações no cérebro dela, o Coulson bola um dos planos mais estúpidos que ele já imaginou. A ideia foi boa, mas dessa vez o Talbot tinha razão, fuçar o escritório da Ellen enquanto a Daisy assinava o Acordo de Sokovia é loucura, eles não tem acesso a todos os buracos que nós, espectadores temos, como o fato de a May não ser a May, mas foi um plano estúpido, expondo a S.H.I.E.L.D., que nem bem saiu das sombras, na frente daquele bando de políticos. Isso que o Mace e a Daisy estavam indo super bem, trocando palavras amigas e tudo, sem contar as indiretas da Daisy pra senadora. No momento em que o equipamento que o Coulson e a Yo-yo estavam espalhando no cômodo falhou, eles precisavam ter saído o mais rápido possível de lá, não abrir a gaveta, resultado, foram pegos, justamente quando a senadora conseguia uma pequena vantagem sobre a Daisy. Com a Yo-yo e o Coulson pegos em flagrante, não havia muito o que fazer né, a não ser aceitar um inquérito em cima da S.H.I.E.L.D.. O lado bom? O mundo viu o rosto do Coulson, sendo assim, não há mais desculpas para os Vingadores acreditarem que ele ainda está morto. Já passou da hora de citarem ele, nem precisa botar no filme, apenas um citação o envolvendo, vivo, já estava mais do que bom.

Missão fracassada, Coulson acusando injustamente o Talbot, todo mundo volta pra casa desanimado, é tempo de sofrer por FitzSimmons, visto que, inteligente como é e depois de dar todas as chances para o Fitz dividir o que estava sentindo com ela, óbvio que a Simmons descobriu que o Fitz estava rodando o programa da Aida, tentando provar que ela era inocente e, ligando-a no processo. No momento em que saiu irritada e tomou o tablet do Fitz, já gritando com ele, começando a chorar e dizendo que ele colocou a equipe em risco ao ligar a Aida e permitir que alguém tivesse acesso a missão, pensei na hora que daria merda, graças aos céus e ao Universo que resolveu desamaldiçoa-los, ela ´parou pra ouvir o que ele tinha a dizer e acreditou nele, mostrando o quão fofos eles são, bem como a confiança que depositam um no outro, poderia ser o fim do relacionamento deles, mas só serviu pra uni-los um pouco mais, se isso é bom ou indica uma desgraça a caminho, eu não sei, mas vou aproveitar o momento. 

Mesmo sendo um androide, a Maybô foi feita com as lembranças da May, assim o senso de justiça e a busca por respostas a levou ao Radcliffe, o que nos levou a outro momento angustiante. Coitadinha, ela nem mesmo entendeu que era um robô, tendo as memórias que a May tem do Radcliffe, ela pensou que ele havia sequestrado ela e colocado pedaços artificiais em partes do corpo dela, como o olho do Deathlok e algo nas costas dela e ele todo insensível já foi perguntando qual era a sensação pra ela, como ela se sentiu, rindo da preocupação dela com a equipe, mas isso não foi o pior, o pior foi ela ameaçando contar tudo ao Coulson, tentando bater no Radcliffe e não conseguindo, a carinha dela quando ele disse que ela foi programada pra não contar nada e pior ainda, para não feri-lo. Não sei, ele induziu a Maybô a ficar com o Coulson a sucumbir o desejo de ser mais do que amiga dele, dizendo que é isso que a May de verdade queria, mas, será que é isso mesmo? Eu acho que não, acho que é só algo para agradar os shippers, que são muitos, se fosse pra existir algo entre eles, já teria acontecido, não gostei muito disso não, entretanto, estou curiosa pra ver no que dá.

Maybô encarando o Radcliffe, May de verdade descobrindo que está presa em outro loop temporal, esse um pouquinho pior, já que cada vez que ela parecia vencer, e eu estava crente que ela estava prestes a fugir, chegava a Aida e dizia que tudo não passava de uma simulação e que a memória dela seria apagada para que ela pudesse fazer tudo de novo. Serio, isso é assustadoramente cruel, é como estar preso em um pesadelo quando você sabe que está dormindo e não consegue acordar. Mays a parte, como eu vibrei quando a Simmons, Fitz e Coulson adentraram a casa do Radcliffe, com dezenas de Agentes com eles e o Radcliffe tentou falar com o Fitz e a Simmons gritou, toda protetora: "Você, não fale com ele!". Já imaginou quando essa menina for mãe, um olhar feio pra criancinha e ela é capaz de  morder, seria fofo. Enfim, Radcliffe capturado eu gritando para virarem a casa do avesso e encontrarem a May, não fizeram isso, nem mesmo a Aida encontraram, o que foi intrigante, não me fez suspeitar de nada, sim, eu estava consciente que havia outro robô infiltrado, mas jurava que era o Mack, ele saiu do nada, não foi na missão, tinha de ser ele. Não era.

Vou dedicar um paragrafo ao Mack, ele merece, lembram da Hope? O sumiço dele foi por causa dela, e ele foi bem sincero em dizer pra Yo-yo que foi ver a ex e ela foi bem sincera em dizer que gostava dele, que não era ciumenta, só que não queria viver/ser outro clichê. O que ela não esperava e eu já havia imaginado, porém, depois da declaração dele havia ignorado é que, Hope não é a ex dele, Hope era a filhinha deles, que morreu dias depois do nascimento, e ele só havia saído porque seria aniversário da menininha e ele foi passar com a ex, para relembrar os poucos momentos da filha. Foi extremamente triste, e a Elena foi incrivelmente boa. Não gosto muito do Mack, mas foi um momento bem bonito. Se o Mack não era um Mackbô, quem era? Fitz nos responde isso ao ir visitar o Radcliffe em sua nova cela, o cara veio com um papo de ter o Fitz como um filho e só querer preservar a vida, então, do nada, o Fitz começou a olhá-lo fixamente, pediu uma arma e atirou na cabeça do Radcliffe, quase morri do coração, só pra ver a arma ricochetear, ai estava o outro androide. Pior que isso só ver a Ellen com o tablet que controlava o Radcliffebô em mãos enquanto o verdadeiro Radcliffe estava ali, ao lado dela, aliado a ela. Maldito traidor.

E, para terminar, ainda mais angustiante, temos a May, presa em outra simulação, essa a mais cruel todas, no momento que transformou a vida dela, Radcliffe, não contente com tudo que já fez, a levou de volta ao Bahrein, onde ela lutasse e vencesse, ao menos ele teve a decência de fazê-la salvar a menininha, o que não torna as coisas melhores, ainda é extremamente cruel. Por hoje é isso pessoal, nos vemos em breve.

Promo 4x12 -Hot Potato Soup


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...