11 de fev de 2017

Review| Agents of S.H.I.E.L.D. - S04E12 - Hot Potato Soup


"O Homem é uma maquina superior. E eu... sou um Homem Superior"

Os Koenig estão de volta e agora são cinco deles. Um Koenig incomoda muita gente, cinco Koenig
incomodam, incomodam... não vou terminar a musiquinha, seria cruel, eles deixam qualquer episódio divertido, mesmo quando sabemos que a May está presa em um dispositivo maluco e substituída pela Maybô. Já de inicio temos Billy e Sam jogando animadamente até que os homens do Superior os atacam, mesmo sob ataque eles conseguem ser engraçados, tadinhos, perseguidos graças ao 'querido' Radcliffe que contou aos russos para quem o Coulson havia entregue o Darkhold. Alias, Radcliffe piora a cada episódio, tive vontade de socá-lo, varias vezes, ele e aquele Radcliffebô dele. 

Por um momento achei que o Coulson havia se tocado que a May não era a May, foram tantas indiretas e insinuações que estava quase impossível o Coulson não notar alguma diferença, mas né, não notou. Definitivamente, Hot Potato Soup poderia se chamar: "Faça-me de boba que eu deixo". Quando os russos levaram o Billy para a salinha onde a tortura continuaria e o Radcliffe estava lá, juro, achei que o 'Superior' não havia gostado do currículo dele e o estava torturando pelo livro, mais uma mentira descarada desse manipulador. Se o Radcliffe não havia passado pela linha do vilão, aqui ele passou. O que quebrou o clima de ódio que o fandom sente por ele, acredito eu, foram os Koenig, o Billy dizendo que nunca falaria, que um Koenig foi programado para sentir dor e que estavam prontos para morrer e em seguida pedindo cianeto pro Radcliffe por que estava doendo tudo, coitadinho, foi triste, mas eu ri. Depois quase tive um troço quando o 'Superior' apareceu com aquele tudo de ensaio e a cebola, tive a plena certeza que ele jogaria o conteúdo no olho do Billy, ai ele tomou o negocio e depois cheirou a cebola, dizendo que era vodca e aquele era jeito certo de se beber, fiquei tipo: "O que??" então ele quebrou o tubo de ensaio e foi pro olho do Billy de novo, já estava vendo outra tortura ao estilo Bobbi, quando o Radcliffe acaba com a brincadeira por não querer feri-lo. Novamente quis socá-lo, mas ao menos ele poupou o Billy.

Se de um lado o Billy estava enrascado, do outro o Sam estava vivendo um momento de fã ao lado da Daisy, representou boa parte do fandom ao falar das inúmeras fanfics protagonizadas pela Tremor. Como não rir com ele mandando ela dar uma olhada e depois mudando de ideia, mas mesmo assim citando o shipp dela com a Natasha. Foi com o Sam, também, que conhecemos os dois novos integrantes da família,Thurston, o irmão do contra que parece detestar a S.H.I.E.L.D. e L.T. a irmã mais velha e responsável pelo ingresso dos irmãos na S.H.I.E.L.D.. Mas, afinal, por que o episódio foi intitulado "Hot Potato Soup", em tradução livre, 'Sopa de batata quente'? Olha, sobre a sopa eu não sei, mas todo mundo já brincou de batata quente na vida (se brincou ainda dá tempo, é divertido) e esse troca troca de livros, um irmão passando o livro pro outro até conseguirem esconderem representa muito bem a brincadeira. Uma pena o Radcliffe ser tão inteligente e ter aquele dispositivo melhor que legilimencia para ler mentes. Já pararam pra pensar o quão assustador isso pode ser, o Billy achando que estava brincando com um cachorrinho e o Radcliffe espiando a mente dele inteira. Tirando isso, é um aparato brilhante, mostra que o Radcliffe não gosta de tortura física, mas não se importa em mexer na mente alheia para conseguir o que quer. Falando em brilhantismo, amei o esconderijo na biblioteca, atrás de trezentos cofres.     

Na contraparte da busca pelo Billy e corrida para salvar o Darkhold de mãos erradas, temos Leo, Jemma e Mack tentando obter informações do Radcliffebô. Ô carinha desprezível, além de tentar colocar um contra o outro, cantou como um canário, pra sacanear o Mack e ainda ficou possuído quando o Fitz tentou quebrar os códigos de acesso, isso sem contar a mexida no emocional do Fitz quando o filho da mãe trouxe a tona o pai do engenheiro. Não recordo se nas cenas deletadas foi falado do pai do Fitz ou é minha mente cheia de fanfics fofas centradas em FitzSimmons que o mencionaram, de qualquer forma, o homem não parece prestar muito, maltratando o próprio filho e o abandonando ainda tão pequeno. Pode não parecer o momento oportuno para inserir o pai do Fitz, mas, vale lembrar que, ao se tratar de Agents of S.H.I.E.L.D., 'tudo está conectado', cheguei mesmo a pensar que o pai do Fitz poderia ser o tal superior. Seria uma jogada interessante, sem contar que conheceríamos um pouco mais do Fitz e, muito provavelmente, da Jemma. Acho coisa mais linda esse carinho FitzSimmons, ela consolando ele, defendendo com garras e presas e ele beijando ela ao descobrir as respostas, é fofura de mais. Fofura que além de lindinha, resolve os problemas, amei eles descobrindo que não havia um código a ser decifrado, o que havia dentro dos androides era um cérebro artificial feito de magia, eu sei que eles não usaram o termo magia, mas se segue a linha dimensional do Dr. Estranho é magia e ponto. Melhor ainda foi ver a Jemma caindo em si, ao ouvir o Radcliffebô falar em cérebros, e percebendo que haviam outros e que o único cérebro que o Radcliffe havia mapeado era o da May. 

Com a relação a Coulson e May, me desculpem os shippers, mas está forçado, a verdadeira May jamais daria em cima do Coulson descaradamente daquela forma e, convenhamos, o Coulson deu aquela vacilada básica ao não notar algo errado, Melinda May pode ser gostar de momentos nostálgicos, mas, de forma alguma, é melosa a esse tanto, enfim, o beijo aconteceu e foi com a Maybô. Não sei se foi o beijo ou se foi a programação da Maybô falando mais alto e tentando pegar o Darkhold a qualquer custo que fizeram o Coulson cair em si, aquela não era a May. Não fosse a Simmons ter percebido e a Daisy corrido para o Coulson, teria dado uma caca ainda maior. Bom, Maybô descoberta, Darkhold a salvo, dentro de uma biblioteca, só faltava resgatar o Billy, então, quando o Coulson jogou a mochila com o livro para trocar pelo Billy eu achei engraçado, afinal, era uma biblioteca, ele tinha trocado os livros. Luta que se segue, o Billy pega a mochila e da de cara com quem? Com a Maybô, caída no chão. Não acreditei que esqueceram de avisar a todos que aquela May era falsa, mas sem problemas, o verdadeiro livro estava a salvo e o Billy só havia sido nocauteado, certo? Errado! Quando o Radcliffe abriu a mochila e eu estava pronta pra rir da cara dele, fui enganada, porque o Darkhold estava na mochila. Serio Coulson, em uma BIBLIOTECA e você não pensou em trocar os livros? Resultado, a S.H.I.E.L.D. ficou sem o Darkhold e sem a May.  

Agora, não sei vocês, mas não consigo sentir outra coisa além de afeição e pena pela Maybô, ela tenta, ela quer proteger a equipe, quer ser boa, é a maldita programação que não deixa, senti um ódio tremendo quando ela pediu pro Radcliffe levá-la com ele e ele respondeu que ela não foi feita para durar. Antes de terminar, preciso mencionar a Aida, ela está começando a me dar bastante medo, as expressões ou falta delas, enquanto ela batia nos russos, parece que ela gosta de causar de dor, gostava mais da primeira Aida. Por fim, queimaram o Radcliffebô, mas o Coulson não conseguiu 'matar' a Maybô, afinal, como a Simmons bem disse, se a May não voltar, a androide é tudo que restou dela. Nos resta esperar e ver o que a mente genial e cruel do Radcliffe fará com o Darkhold, e que desgraças aguardam o Coulson agora que o Ivanov, vulgo Superior, declarou acreditar que ele é o responsável pela 'praga' Inumana.


Promo 4x13 - Boom

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...