10 de fev de 2017

Review- Suits S06E13- "Teeth, nose, teeth"





Depois de dois episódios com forte carga dramática, Teeth, nose, teeth veio para mostrar que Suits ainda é forte quando tem que jogar no seu estilo clássico. Esse foi um episódio costurado com um bom caso jurídico, tons satisfatórios de humor e uma utilização equilibrada de todos os nossos personagens principais, o que foi suficiente para, por hora, desfazer todas as inseguranças que a primeira metade da sexta temporada nos deixou.
O ponto de tensão do qual a história se desenrolou veio da negativa recebida por Rachel de realizar sua entrevista perante o Comitê de Ética da BAR. O que se pensou ser resultado do crime de Mike rapidamente se revelou como um truque para atrair Harvey para um acordo obscuro. O plano lançado pelo cara do Comitê de Ética era que Harvey processasse a sua maior concorrente por dinheiro suficiente para derrubar suas ações, em retorno de facilitação para a aprovação de Rachel Zane em seu teste de aptidão e caráter.
A chantagem não foi prontamente aceita por Harvey, que procurou investigar mais a fundo as razões daquela proposta. Logo descobriu que o cara do Comitê (sério, qual o nome dele?) pretendia adquirir a tal concorrente porque teve sua tecnologia roubada por eles. Como eles conseguiram isso? O vacilão teve um caso extraconjugal e a amante conseguiu ter acesso ao seu laptop (Sim, amigos, mais uma vez o adultério passando pelo cotidiano de Harvey, e ele ainda abomina isso, mas pelo menos não quis arrebentar a cara do sujeito ali mesmo).
Harvey aceitou seguir o plano, mas resolveu engordar o acordo e é nesse ponto que o que era uma história de Rachel virou uma história de Mike. Em troca de entrar com o processo contra Velocity Data Solutions, Harvey negociou que Mike também conseguisse a sua admissão na BAR.
A proposta não foi recebida com bons olhos por Mike. O atual supervisor da Clínica Legal veio passando maus bocados ao lidar com a ação de despejo de Sophie, que a cada momento se complica mais. Por infortúnios do destino e também pela conduta imprudente do condomínio, a boa ação de Mike no episódio passado em cobrir as despesas de aluguel da sua cliente acabou não dando o resultado pretendido. Por outro lado, a adversidade acabou servindo para demonstrar que existem interesses mais complexos para o despejo de Sophie do que a mera inadimplência do aluguel. Imerso nessa batalha, Mike se via finalmente enquadrado em seu propósito profissional e de vida, se sentia no caminho da redenção de uma vida marcada pela fraude. E nesse cenário, a sua rejeição aos planos de Harvey é não só compreensível como também notável. Pareceu que a cadeia tinha lhe ensinado uma lição.
Mas a jornada de fazer o bem não é tão simples, principalmente se te faltam as ferramentas – que no caso era uma inscrição regular na Ordem dos Advogados. O caso de Sophie atingiu obstáculos extremos quando Marissa não pode estar à sua frente e a trava psicológica de Oliver não lhe permitiu lidar com as dificuldades de um Tribunal. A tentação foi forte o suficiente para fazer Mike voltar atrás na sua posição e acabar aceitando a proposta de Harvey.
Não sei bem o que pensar sobre isso. Por um lado, vejo Mike e Harvey mais uma vez seguindo um atalho e tenho a impressão que já esqueceram todo o arsenal de problemas que isso pode causar. Por outro, é a oportunidade de Mike finalmente se regularizar na profissão que ele sonha e voltar, de algum modo, em sua parceria com Harvey. Era óbvio que chegaríamos a esse ponto de retorno da dupla e até de uma oportunidade para Mike realmente se tornar um advogado, mas não haveria uma outra forma de fazer isso? Espero que dessa vez sigam a lei, porque Anita Gibbs com certeza estará na cola.
Enquanto essa história toda se desenrolava, a melhor secretária da história finalmente iniciou seu prometido arco. A sacada da The Donna foi fenomenal e eu mesma já quero saber onde posso adquirir a minha. A Donna digital rendeu cenas fofas e divertidas. Quão adorável foi ver Donna conversando com Donna? AWESOME!!! Mas devo confessar que tive uma pontinha de receio de que todo o arco prometido para Donna fosse no fim das contas apenas alívio cômico para a série. Ela merece mais que isso. Me senti aliviada quando o próprio texto assumiu através de Rachel que aquilo era uma “piada fofa”. Mais satisfeita ainda fiquei quando a própria Donna declarou que ela era mais que sarcasmo e tiradas, “o que realmente fazia dela especial era sua intuição, sua empatia e se coração” (insira aqui seus emojis de heart eyes). Benjamin resolveu insistir na aprimoração do seu produto, mas não acredito que uma máquina possa acomodar toda a essência e genialidade da Donna original. Torço pra que esse plot se desenvolva para caminhos e conclusões mais sérias – mas também espero que ele renda umas divertidas cenas Darvey.
No núcleo do relacionamento miojo, Louis e Tara enfrentaram as dificuldades óbvias de sua trajetória apressada. As questões do público sobre se eles se conheciam o suficiente passam para os personagens. Isso me deixa contente porque mostra que Suits não ignora os fatos, mas os trabalha para desenvolvimento das histórias. Ainda não consigo aceitar esse casal como plausível, mas no desenrolar das coisas quem sabe o que pode acontecer?
Restam mais três episódios nessa temporada e podemos esperar que as coisas fiquem ainda mais empolgantes para todos os nossos personagens.

Notas:
1. We also have to make sure you don’t [cough] Donna at the wedding”. AGORA VAI!!! Amo quando esse menino shippa os pais assim.
2. Se você não viu, volte na primeira cena de Benjamin e Donna e veja Harvey indignado no segundo plano. Não satisfeito, ainda foi buscar esclarecimentos diretamente com ela. Esse é o tipo de cena que não temos há muito tempo. As provocações entre Harvey e Donna são uma parte deliciosa de ver no show e que todos nós estávamos sentindo muita falta.
3.  Enfim Louis e Harvey em uma boa situação, tão boa que permitiu que Louis comprasse pra Harvey seu sanduíche favorito e os dois tivessem um encantador diálogo sobre amor e família. Quem diria, Harvey dando conselhos amorosos...quem diria.
4. I don’t speak for all handsome men”. Harvey sendo Harvey.
5. Posso estar especulando demais, mas não seria possível que o caso do despejo de Sophie e o processo contra a Velocity acabem se cruzando? Pode a Velocity estar por trás dos interesses na demolição do prédio?


Promo e stills do próximo episódio:
















0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...