2 de abr de 2017

Review| Agents of S.H.I.E.L.D. - S04E15 - Self Control


"Depois de tudo pelo que já passamos, toda essa loucura, apenas uma coisa nunca mudou, você e o Fitz estão destinados a ficar juntos"

Mais alguém sentiu-se enganado, voltou ao episódio anterior pra ver o que tinha perdido, voltou as cenas, gritou e chorou nesse episódio?? Sem dúvidas 'Self Control' está no top cinco de melhores episódios de Agents of S.H.I.E.L.D., não deu nem pra respirar, que atuação desse elenco, mas principalmente que atuação da Elizabeth e da Cloe e claro do Ian, mas as duas, gente, que show, que episódio, deixou a mid season no chinelo, alias, poderia ser considerado como mid season, afinal estamos em hiatus, até 4 de abril aguenta coração, porque se o episódio foi sensacional, o final foi assustadoramente inesperado.

A começar pela louca psicopata da Aida, dizendo que o Ivanov seria mais que uma maquina e cortando ele com aquela motosserra, isso é irreal, essa androide precisa de um choque de vida, não precisa nem ser humana, ela me dá medo. Como a Aida me deixou assustada, nada melhor pegar a balsa do pânico e ver FitzSimmons,  meus pobres FitzSimmons, com quem eu tinha certeza que aconteceria alguma desgraça, sendo vigiados, observados e perseguidos por quatro androides doidinhos para trocá-los, é assustador quando a Jemma, toda centrada, demonstra medo dessa maneira, mostrando o quão complicada é a situação, me surpreendeu o Fitz mantendo a compostura com a Simmons em potencial perigo, conseguindo contrariar as ordens do diretor e ainda os afastando dos quatro androides, mas eles estavam juntos, venceriam qualquer coisa juntos, certo? Errado, afinal um deles já não era de carne e isso. Isso mesmo amigos e amigas, o Universo resolveu brincar com ambos novamente e a brincadeira não foi menos perigosa.

Vou elogiar de novo a atuação do trio Ian, Cloe e Elizabeth, porque foi maravilhosa e no momento da descoberta de quem era androide e quem não era, foi espetacular, digna de Oscar. Não bastasse a angustia de ver o Leo e a Jemma fugindo daqueles que deveriam ser seus amigos, o Coulson mantendo a Maybô escondida como arma secreta enquanto a mesma só queria proteger a equipe, a Elena sendo atraída para uma morte certa, ainda temos aquele bendito detector de vida artificial apitando quando o Leo e a Jemma entraram, serio, eu não sei se quis rir, chorar ou socar alguma coisa por essa facada, como assim um deles era androide, deveria ser FitzSimmons contra o mundo não Fitz contra Simmons. Uma das cenas mais angustiantes de toda a serie, isso que tivemos varias dessas, foi ver os dois gritando um com o outro, a Simmons apontando uma arma para o Fitz, chorando horrores, enquanto ele pedia desculpas por tudo que estava acontecendo, não dava pra saber quem era o que ali, ambos levantavam suspeitas e ambos eram 'insuspeitaveis', até que ela mandou ele cortar o pulso e eu não sabia se queria ver aquilo e então, havia metal por baixo do sangue e ela continuou a se aproximar dele, preocupada, quando ele enfiou a faca na coxa dela, saiu na luta e ainda deu com uma lata, que pareceu bem pesada, na cabeça dela. Nesse momento, quando o Fitz olhou de cima para Simmons, mas alguém sentiu um gelo muito ruim na espinha?

Ao mesmo tempo, a Daisy, toda solicita com os Inumanos, verificava as celas de contenção, que também servem como quarto de hospedes, nada fora do normal até ela abrir a fatídica porta que escondia um exercito de Daisys, todas prontas para serem ligadas e causar muita destruição. Agora eram Daisy e Simmons contra o mundo. Ao menos contra o mundo delas. Contudo, antes e porém, elas precisavam se encontrar e na loucura que o mundo estava, se encontrar o menor dos problemas. Adorei a Daisy colocando todo o treino em pratica e disfarçando-se de androide, que angustia o Mack entrando com a espingardamachado pronto pra matar a Daisy de verdade, sorte ela ser mais esperta e ter poderes. Já a Simmons não tem a vantagem dos poderes, mas tem a pressão emocional, e que pressão, foi desesperador ver ela acordando com um IV no braço e o Fitz todo sorriso na frente dela, falando em casamento e que ela deveria ficar calma, porque não iria doer e seria para o bem dela, aquele beijo que ele deu na cabeça dela me deu mais medo que muita ameaça do Ward, a coitadinha caindo, sem força pra lutar e o Fitz lá, olhando de cima, quando ela pegou o martelo eu achei que ela ia bater nele e só pedi pra ele não machucar ela ainda mais, por sorte tinha aquele monte de coisa preso no teto e ela pode derrubar tudo em cima dele. Eu, muito inocente, pensei que terminaria ai, mas não, o show de atuação precisava continuar, nem sei dizer o quão maravilhosa e assustadora foi a luta dos dois, até ela cortar a corrente elétrica principal da cabeça do Fitz.

Se algum pobre coração pensou que a emoção acabava ai, é melhor manter o desfibrilador por perto, porque só estava começando. Vou focar na Aida, por mais um momento, antes de voltar pro time, alguém realmente imaginou que ela mataria o Radcliffe, assim, de verdade? Porque eu jurava que seria traição, não morte. E ela foi lá, friamente, o matou e botou de volta no framework, assustador isso, assustador. Uma das vilãs mais interessantes até o momento. E como a Aida deturpou as palavras do Radcliffe e reprogramou o mundo e os androides, claro que eles não estavam nem ai pra matar as pobres agentes que não haviam sido trocadas, apenas o cérebro delas interessava, nada mais. O mais assustador não foi isso, o mais assustador foi ver o Coulsonbô e o Mackbô colocando a S.H.I.E.L.D. toda atrás das duas. Nem consigo imaginar o desespero da Daisy ao ver a Jemma 'matando' o Fitz, ou o desespero da Jemma ao ver a Daisy entrar e não saber se ela era de verdade ou não. Não sei vocês, caros leitores, mas ver a Jemma chorando me faz chorar também.

Novamente não sei se quis rir, chorar, gritar ou os três ao mesmo tempo quando a Daisy encontrou a Jemma, a atuação das duas, mesmo sabendo que ambas eram humanas, não teve como não sentir a angustia, a Daisy pedindo a  mão da Simmons e dizendo que chocaria ela de leve, só para sentir os ossos e ela se recusando terminantemente, aquele abraço, a Daisy puxando a Jemma pra ela e o alivio quando sentiram que estavam juntas, que ambas eram reais, me diz, quem não quer uma amizade dessas? Deu maior peninha da Simmons ao vê-la dizer que não conseguiria sem o Fitz, eu gritei que ela sobreviveu em um mundo alienígena sem ele, mas né, matar o Fitzbô, quando ele era tão Fitz deve ter mexido com a cabecinha dela, sem contar aquela pancada. Por sorte, ou pressão, a Daisy tinha um plano e um discurso mais que motivador pra levantar a Jemma e botar pra quebrar, literalmente. Genial vê-las liberando o gás do sono por toda base e a preocupação na cara do Mack e do Coulson. Alias, o Mackbô ainda é chato, porém, melhor que o original. O que foram os efeitos especiais da Daisy explodindo o Mackbô e derrubando o Coulsonbô? Amei, amei, amei! Isso e a Simmons acordando a equipe tática da May e dizendo que não estava nem ai pro que eles acreditavam, eles iriam ajudar e pronto. Ainda bem que a cabeça do Mackbô voou pra fora da sala no exato momento em que a Piper tinha a chance de ferir a Jemma.

Explicações feitas, era hora de enfrentar o Coulson, chegar ao Zephir One e fugir da base antes que outra desgraça acontecesse, desgraça essa que veio na forma de Maybô, realmente achei que ela não deixaria as meninas passarem, mas ela tinha a bravura e visão da May original, me fazendo segurar o choro ao entender o que estava acontecendo. Houveram grandes momentos e grandes frases no episódio, mas a Maybô perguntando ao Coulsonbô se ele tinha medo de morrer, porque ela tinha e depois falando que ela sempre protegeria o Coulson, mas ele não era o Coulson, foi, sem sombra de duvidas, uma das melhores, ela, além de deixar as meninas passarem, ainda explodiu o Coulsonbô, que era uma das maiores ameaças. Em outras palavras, depois de toda luta da Simmons e da Daisy, a May salvou o dia, permitindo que elas vencessem a batalha e partissem para vencer a guerra. o finalzinho com elas fugindo no Zephir, pareceu final de filme. Serio, MAoS merece mais umas dez temporadas. Entretanto, ainda não terminamos e, depois de devidamente tratadas e a salvo, era hora da Daisy e da Simmons entrarem no framework e salvarem sua família.

Digna de Season/Mid Season Finale, a chegada ao Framework foi tudo, menos tranquila, lá, além da música de fundo fantástica, Mack tem uma família e sua filha está viva, Coulson é professor e prega o desprezo pelos Inumanos, Fitz é milionário e está com uma mulher que definitivamente não é a Simmons, May é chefe ou tem uma posição bem alta na HIDRA e, para finalizar, Jemma Simmons está morta! Isso que nem comentei o fato de a Daisy dividir a casa com o namorado e esse namorado ser ninguém menos que Grant Ward. Isso é brincadeira com a minha cara, que mundo doido é esse, Dinastia HIDRA está a caminho e não vai ser bonita. Se os próximos episódios seguirem o ritmo desse, promete ser um dos melhores, se não o melhor arco da serie. Antes de terminar, temos a cena pós credito, com a Aida acordando o Ivanov e ele puto por notar que é um androide, até ai sem problemas, então a Aida, com a maior naturalidade do mundo, explica que o cérebro dele controla o androide remotamente, como? Simples, ela o decapitou e, de alguma forma bizarra, que deve envolver horcrux e magia negra, a colocou em uma cúpula, com diversos eletrodos ligados, deixou de enfeite em cima da mesa e essa cabeça que controla o corpo androide. Se algum dia na vida imaginei isso? Nunca. Apenas imaginei algo como essa realidade alternativa, só que na minha imaginação era um mundo bonitinho e feliz.

Bom pessoal, desculpem o atraso na review, mas vejam pelo lado bom, já temos promo do retorno ;)
Nos vemos em breve *-*

Promo 4x16 - What if...







0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...