11 de ago de 2017

REVIEW- SUITS S07E05- "Brooklyn Housing"







Enquanto na semana passada Suits tratou de posicionar cada personagem em seu devido lugar, o quinto episódio da S7 conseguiu mostrar de forma mais clara quais são as tramas que envolvem essa temporada. E advinha só o que temos...SEGREDOS! Figurinha repetida em Suits? Sim, mas funciona.
Mais uma vez Mike resolve encarar o suspense de esconder um segredo e mentir para todos a sua volta. Mas dessa vez Harvey não é seu parceiro na empreitada, pelo contrário, ele é a principal pessoa alheia à verdade. Contrariando sua palavra e seu compromisso formal, Mike voltou a trabalhar no caso da prisão. Mike mentiu para Rachel, mentiu para Harvey, mentiu para Nathan. Este último não caiu na balela. Nathan parece já ter entendido que Mike não se preocupa com quais linhas tem que cruzar quando se trata de cuidar de um caso com o qual ele se importe. Bonitas suas intenções, mas seus meios não. Mike se esqueceu do quanto lealdade é essencial para Harvey? Eu não teria a certeza que ele tem de que Harvey não o demitiria. Mike está descumprindo não só um, mas dois acordos. Um, de que deixaria o caso da prisão, e o segundo, de que dividiria seu tempo entre a clínica e a PSL. Mas o que vimos é que o caso pro bono está lhe ocupando quase que integralmente. Como Rachel lhe disse, Harvey o trouxe de volta por uma razão, e se Mike não está lá quando ele precisa, de que adianta? Enquanto as coisas continuarem assim, Mike é apenas uma torneira aberta vazando dinheiro da PSL.
O caso da prisão trouxe de volta uma figura conhecida da sexta temporada, Frank Gallo.  O antigo colega de prisão de Mike tem como contribuir para o caso da clínica, mas isso terá seu preço. O que parece é que Mike está disposto a pagar qualquer que seja, uma vez que até cogitou tirar Gallo da cadeia. Perdeu a noção do perigo, literalmente.
Enquanto Mike esconde o jogo de um lado, de outro, Harvey também está mantendo segredos de alguém.
Tivemos o sócio-gerente pedindo que Louis cuidasse de uma questão judicial de sua não-terapeuta e assim, o famigerado relacionamento saiu do sigilo (mas não para todo mundo ainda). A situação me lembrou muito de quando Harvey lidou com o caso de Esther a pedido de Louis, inclusive com o pedido de que a outra parte não tentasse se envolver no caso ou ainda com eles enxergando situações das suas próprias vidas nos casos dos clientes.
Confesso que a promo do episódio me enganou e eu esperava que o que Agard estava escondendo de Harvey fosse algo mais chocante. Mas aquela história de que Harvey saber que Paula foi traída poderia fazer ele vê-la como uma mulher indigna de ser amada??Sério? Quem pensa assim? Logo Harvey pensaria assim? Não sei o que estava passando na cabeça de Paula durante as cinquenta horas de terapia que ela teve com Harvey (as fantasias com ele, talvez?), mas se tem alguém que ele enxergaria com maus olhos num contexto de traição, com certeza não seria o traído. Eu realmente admirava a psiquiatra da quinta temporada, mas na sétima, Paula destoa tanto que eu não reconheço como o mesmo personagem.
Enquanto essa história se desenrolava, um alarme piscava na cabeça de Donna. Ela sabe que tem algo estranho acontecendo, ela só não sabe ainda o que é. Interessante como o episódio fez questão de frisar que o relacionamento de Harvey está sendo escondido de Donna. Consigo me lembrar de pelo menos quatro cenas em que o assunto é enfatizado: 1) Louis perguntando a Harvey se Donna sabe de Paula; 2) Donna indagando Louis; 3) Donna indagando Harvey; 4) Donna falando “nós não mantemos segredos uns dos outros” para Harvey (e nessa hora Harvey quase abriu um buraco no chão). Nunca nenhum relacionamento amoroso de Harvey foi apresentado como algo que pudesse abalar Donna, nunca passou longe do conhecimento dela. Se as coisas são diferentes agora, com certeza há uma intenção narrativa por trás disso.
Até agora a sétima temporada me parece um delicado castelo de cartas prestes a ir ao chão a qualquer momento. E eu não vejo a hora de alguém assoprar.


Notas:


1. Louis é uma bomba-relógio de informações. Ele sabe do novo namoro de Harvey, ele sabe que Donna e Harvey já dormiram juntos, ele sabe dos ataques de pânico. Para uma pessoa que está instável psicologicamente, isso pode ser a receita da confusão.
2. Acho que eu ainda não falei aqui do quanto eu gosto do Dr. Lipschitz. Eu gosto muito. Um exemplo de paciência e profissionalismo.
3. Mais um psiquiatra inglês entrou na lista. Realmente a nacionalidade deve ser pré-requisito.
4. Alerta! Donna usando terno! Repito! Donna usando terno!
5. Espero que Donna não precise mais repetir para Harvey que ela agora é COO e não secretária dele. Espero que Harvey não continue resistindo a dar voz a ela nas decisões que cabem ao cargo dela também.
6. Qual o propósito do subplot com a Holly? Só reafirmar o cargo de Donna ou a personagem volta para acrescentar algo?
7. “Do you work in Business Affairs?” “No, I work in suing your ass for trying to pass off Galvadyne's solar panels as your own”. Que saudade que eu estava do Harvey sassy!
8. "Psiquiatras não sabem tudo, você sabe" "Estou começando a perceber isso". Vocês conhecem uma pessoa nessa série que sabe tudo? Pois é, também conheço.
9. Nesse episódio Oliver se revelou uma pessoa mais ajuizada do que Mike.
10. Alguém me confirma que Mike parou de usar maconha? Porque a ideia de querer tirar Gallo da prisão me convence do contrário. Uma vez que Gallo esteja fora da cadeia ele vai tentar matar Mike, ou vai tentar matar Harvey, ou vai tentar matar Donna (para atingir Harvey). E aí Harvey vai querer matar Mike. E Donna também vai.  De qualquer jeito, Mike seria um homem morto e o nome da série é Suits e não How to Get Away with a Murderer.

Curta Suits BRASIL!

            Assista a promo do próximo episódio, Home to Roost:




0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...